Perto de ser anunciado, Carille já fala como treinador do Santos

O profissional foi demitido do clube asiático e chegou nesta terça-feira (7) ao Brasil para acertar os detalhes

Fábio Carille, ex-técnico do Corinthians e do Al-Ittihad FC da Arábia Saudita deve ser anunciado nesta quarta-feira como novo técnico do Santos. O profissional foi demitido do clube asiático e chegou nesta terça-feira (7) ao Brasil para acertar os detalhes contratuais com a diretoria do Alvinegro e neste momento já falou como o assunto já estivesse sacramento. Carille deve se reunir novamente com dirigentes do Peixe nesta quarta-feira, para definir os últimos detalhes do acordo costurado pelo empresário Paulo Pitombeira. Ele pode já comandar o treino da equipe caso a reunião seja positiva.

 

“A responsabilidade é detectar o que o grupo pode nos dar em relação a características. Tardelli, Baptistão e Velázquez estão chegando. Já dei uma olhada (no elenco), principalmente no aeroporto. É fazer um bom trabalho para que o Santos melhore”, disse Carille aos repórteres que estavam no local.

Mas, apesar de ter falado como novo comandante do Peixe, o treinador fez questão de dizer que as conversas com a diretoria do Santos ainda estão em andamento. “Acabei de falar com meu empresário. Existe, sim, uma conversa com o presidente Rueda. O quanto antes, me encontrarei com quem cuida da minha carreira para entender melhor tudo isso”.

O Santos vive uma situação delicada na temporada. Lutou para não ser rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Paulista, foi eliminado da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana, está em 13º lugar no Brasileirão e precisa vencer o

“Não me preocupa. Aceitei um desafio pior no Al-Ittihad. Nas últimas três temporadas eles tiveram 11 técnicos. E eu fiquei um ano e sete meses. (Futebol) É resultado, sabemos, mas sem medo de encarar. Sabia desde que escolhi a profissão”.

Como já era esperado, Carille foi questionado sobre o DNA ofensivo do Santos. Ele, que prima pelo estilo defensivo de seus times, diz se preocupar com o DNA vencedor e lembrou o Corinthians de 2018.

“Dei continuidade no Corinthians ao que aprendi, O DNA implantado pelo Mano em 2008 e 2009, veio o Tite e dei sequência. Meu trabalho no Al-Ittihad mostra diferenças, assim como o Corinthians principalmente em 2018, que propunha e ficava com a bola”.

Comentários:

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*