¡Seguir al líder! Vamos Bahia, carajo! – por Erick Cerqueira

"A classificação, agora, voltou a depender somente da gente"

Foto: Bruno Queiroz / EC Bahia

Uma quinta com cara de quarta de cinzas. Assim foi o jogo do Guabirá contra o Bahia pela Sul Americana nesse importante 13 de maio, aniversário da Lei Áurea. Mas pense num jogo “sem vontade”, sem graça, sem sal, sem futebol…

 

Não se pode confiar em cabeça de treinador. Não assisti quase nenhum jogo do Baiano 2021. Se o Bahia não tava dando importância ao campeonato, porque eu deveria perder meu tempo? E não vi quase nada, mesmo. Hoje o Sr Ruy Cerqueira me falou que o Prates tirou o lateral direito por cansaço e colocou o meia, que é bom no meio, improvisado de lateral direito. Curioso que quando vi os gols percebi que todos foram pelo lado direito da defesa do Tricolor. E fiquei pensando: porque o treinador não trocou só o lateral pelo lateral e manteve o resto do time?

Contra o Guabirá, Dado parece que queria imitar o erro de Prates. Tirou Thaciano e ao invés de colocar Gaudezani ou Ramon, tirou Rodriguinho de onde ele vinha bem pra colocar Ruiz, que vem muito mal. Aí, atrapalhou os 2 setores, como no time contra o Bahia de Feira, que fará a PRIMEIRA FINAL DE TIMES DO INTERIOR da história centenária da Federação Baiana de Futebol, contra o Atlético da Bahia, do meu amigo Ito. Mas vamos ao jogo.

GUABIRÁ x BAHIA

De um lado um time esforçado e limitado. Do outro um Bahia ressaqueado, de perna pesada, com cara de quem comemorou o tetra da Copa do Nordeste até ontem a noite.

O primeiro tempo do Bahia se resumiu a umas 2 ou 3 escapadas de Rossi pela direita e um cruzamento de Matheus Bahia que Gilberto não chegou. O único lance mesmo foi uma tabela de Rodriguinho com Rossi, que culminou num cruzamento do búfalo pra cabeçada de Rodriguinho que explodiu no travessão. Mas foi só isso mesmo.

No segundo tempo os caras devem ter pensado assim: véi, a gente vai lá, faz o gol e descansa. E aí rolou. Numa escapada de Gilberto pela esquerda ele entorta coluna do zagueiro dos cara e com um chute cruzado, faz o que eles precisavam pra virar líder do grupo. 0x1 Bahia.

Gol feito, porteira aberta, agora vai golear e… o time voltou a dormir até o final da partida.

Aí fica a pergunta: se o time titular precisava ser poupado, porque não colocou o reserva, que goleou o Guabirá em Salvador?

Mas o que importa é a bola na rede e virar líder da chave. E, claro, partir pra cima dos argentinos com gosto de gás. Porque se jogar como hoje, não ganha nem um bába no campo do Lasca.

BORA BAÊA MINHA PORRA! 

A classificação, agora, voltou a depender somente da gente. E ela pode vir já na próxima rodada, se vencermos o Independiente (que vai vir virado no mói de coentro) e o City empatar com o Guabirá, já estaremos na outra fase com 11 pontos. É fácil? Bem, vencer o Ceará, depois de dezenas de jogos invicto e jogando no Castelão, não foi fácil também não. Mas rolou. Então, nada de desculpa. Quero ver a intensidade da final do Nordestão, lá na Argentina. O Independiente merece respeito. Mas se eles tem um exército de argentinos, nós temos o CONTI! 

BORA BAÊÊÊÊA, CARAJO!

Comentários:

1 Comentário

  1. Qual a Relação da Lei Áurea com a Partida de Futebol, se o Bahia Tivesse Realizado Manifestação sobre a Data Seria Criticado pois Questões Sociais Não Se Mistura com Futebol assim Dizem Nefast@s Negacionistas da Realidade Social do Brasil; Pois nos Estados Unidos e Europa que Mais Acompanhamos é o Ativismo dos Atletas destes Respectivos País e o Velho Continente com Adesões as Causas Sociais; Principalmente as questões de Racismo e a Lei Áurea Tem Importância Crucial no Brasil a Escravidão; Portanto Sugiro Refletir sobre o Tema para Abordar em seus Comentários sobre Futebol.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*