Cláudio Prates não comanda mais o time de transição do Bahia

"Prates cumpriu um ciclo positivo no clube", disse o presidente Bellintani

Foto: Enaldo Pinto / Insta: @enaldo_santos_pinto

Após a disputa do Campeonato Baiano, sendo eliminado na semifinal para o Bahia de Feira, o time de transição do Esporte Clube Bahia já se prepara para o Campeonato Brasileiro de Aspirantes, que começa no início de junho. Alguns jogadores já deixaram o grupo, outros devem sair e a diretoria tricolor vai trazer reforços. Mas a principal mudança será no comando técnico. Nesta segunda-feira, o presidente Guilherme Bellintani anunciou em entrevista à Rádio Sociedade que Cláudio Prates não é mais o treinador da equipe de transição e vai buscar um novo técnico.

 

“Prates cumpriu um ciclo positivo no clube, com todas as dificuldades que tivemos. Vamos buscar um novo nome para um ciclo de trabalho. É hora de começar um novo ciclo e vamos explicar isso”, declarou.

Cláudio Prates assumiu o time de transição após Dado Cavalcanti ser efetivado como treinador da equipe principal. Em 11 jogos no Baianão, o Tricolor conquistou 5 triunfos, 3 empates e 3 derrotas, e nunca chegou a apresentar um futebol que agrasse. Com a saída do time sub-23, Prates segue no clube, mas agora como auxiliar técnico de Dado Cavalcanti.

Bellintani também falou sobre o projeto do sub-23. “A gente começou o projeto em 2018. Em 2019 e 2020 a gente sofreu com a pandemia e em 2021 é nossa obrigação ter aprendido com as coisas boas e ruins. Uma das coisas imediatas é trabalhar com idade média menor. No ano que vem, vamos trabalhar com jogadores em regra nascidos em 2000, com alguns 99”, projetou.

 

Comentários:

7 Comentário

  1. Agnaldo Lins? Treinou o Atlético de Alagoinhas e nem esquentou a cadeira. Se demora mais um pouco, rebaixava o time.
    Prefiro o atual treinador, campeão Sérgio Araujo.
    Bellitani promoveu Cláudio Prates, já que, retornou ao time principal, como Auxiliar técnico de Dado Cavalcanti. Isso significa dizer que, no momento em que Dado vir a cair, Cláudio Prates, será efetivado como treinador do time principal. Olhe que beleza!
    Me faça uma garapa!
    Tudo como antes, no Quartel de Abrantes.

  2. Em nenhum momento, percebi que Prates cumpriu um ciclo positivo no Bahia, haja vista que, em nenhum jogo que assistir desse time, enxerguei o time jogar, ou seja, o cara passou esse tempão todo a frente do time, não conseguiu dar uma forma de jogar ou um esquema tático de jogo.
    Não é possível que um time com uma folha de pagamento superior a 300 mil de reais, não tenha competência para ser campeão Baiano, perdendo uma semifinal para o Bahia de Feira, cuja folha de pagamento, deve ser menos da metade do time que Prates comandava. Aliás, imagino que à soma das folhas de pagamento do Carcará e do Tremendão, ainda encontra um valor menor do que a folha de pagamento do time sub-23 e nesse contexto, só posso imaginar duas coisas: Ou o time foi mal montado com jogadores de baixa qualificação técnica ou o time é bom, mas, o treinador foi incapaz de botar o time pra jogar.
    Das loucuras e invenções na escalação do Bahia feitas por Cláudio Prates, não posso esquecer daquela do segundo jogo da semifinal contra o Bahia de Feira que ele resolver improvisar o bom volante Raniere na lateral direita uma vez que, por mais que Borel seja ruim, é de lateral de ofício e, até de muleta, teria tido melhor aproveitamento do que o improvisado Ranieri.
    Cheguei até a comentar aqui, essa “barrigada” do treinador num jogo decisivo e foi, justamente, naquele setor que o Tremendão bagunçou e ganhou o jogo.
    Minha satisfação com a demissão do treinador é perceber que o presidente Guilherme parece que aprendeu a ser gestor com as porradas que recebeu na sua gestão anterior, com respeito ao excesso de tolerância com trabalho ruim de treinador, como aconteceu com Enderson Moreira, Roger Machado e Mano Menezes, treinadores que venceram à validade treinando o time e tendo resultados ruins, mas, o presidente não era macho pra demití-los.
    Cheguei a comentar aqui, também, que se esse time sub-23 estivesse sendo treinado por um treinador como Agnaldo Liz, seria um time organizado competitivo.
    Então, já fica a sujestão desse modesto, mas, apaixonado torcedor do Esquadrão de Aço.

    • Agnaldo Lins? Treinou o Atlético de Alagoinhas e nem esquentou a cadeira. Se demora mais um pouco, rebaixava o time.
      Prefiro o atual treinador, campeão Sérgio Araujo.
      Bellitani promoveu Cláudio Prates, já que, retornou ao time principal, como Auxiliar técnico de Dado Cavalcanti. Isso significa dizer que, no momento em que Dado vir a cair, Cláudio Prates, será efetivado como treinador do time principal. Olhe que beleza!
      Me faça uma garapa!
      Tudo como antes, no Quartel de Abrantes.

      • Olha só Rocha, você está totalmente equivocado. Agnaldo Lix foi contratado pelo Vitória no início de 2020 para treinar o time sub-23 que foi extinto no meio do ano.por causa da pandemia, inclusive o treinador foi demitido e contratado pelo Atlético de Alagoinhas na reta final do campeonato Baiano, realizando um grande trabalho, levando o time ás finais que e me patou os dois jogos com o Bahia dentro de Pituaçu, com o Bahia jogando com o time principal sob o comando de Roger, com o Carcará dando um banho de bola no tricolor que foi campeão sem vencer o Carcará numa disputa equilibrada de pênaltis e depois do campeonato ele achou uma boa proposta de um clube de outro estado e deixou o Carcará.
        Trata-se de um bom treinador, não para o time principal do Bahia, mas, se for contratado para comandar deu sub-23, vai botar esse time pra jogar. Isso eu tenho certeza.

  3. Se Prates cumpriu um ciclo positivo (segundo Bellintani) mas nunca foi vencedor, imagine se o ciclo fosse negativo. Bellintani é uma piada pronta – de mal gosto, claro…!

    • E tem mais! A torcida não pode deixar o presidente ignorar o campeonato baiano, colocando times de transição fracos para disputar. Daqui a alguns anos vão dizer que ganhou títulos do Bahia e nao do Bahia de transição.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*