Bahia contrata promessa do Fluminense-PI para o time sub-20

Bahia apresentou proposta formal ao Fluminense-PI, logo após a Copa do Brasil sub-20

Foto: Arquivo Pessoal

O Esporte Clube Bahia acertou a contratação do meia Raí, revelado na divisão de base do Fluminense-PI e que chega ao Esquadrão para reforçar o time sub-20 até janeiro de 2022. O Tricolor terá direito de compra dos direitos do atleta ao fim do prazo. O contrato do jovem promissor com o Bahia foi publicado no Boletim Informativo Diário, da CBF. De acordo com Vicente Medeiros, diretor de futebol da equipe piauiense, o clube baiano terá de pagar R$ 350 mil pela compra de 70% dos direitos do atleta se quiser integrá-lo em definitivo ao elenco.

 

Natural de Picos, no sertão do Piauí, Raí chegou ao Fluminense-PI, em 2019, aos 17 anos, e foi um dos destaques da equipe na Copa São Paulo de Futebol Júnior. Ele Copa do Nordeste sub-20 e foi titular do time que perdeu para o Atlético-MG na 1ª fase da Copa do Brasil sub-20, este ano, em Belo Horizonte. O Bahia apresentou proposta formal ao Fluminense-PI, logo após a Copa do Brasil sub-20, com plano de carreira que agradou ao clube e a família de Raí.

 

Comentários:

2 Comentário

  1. Esse jogador é algum fora de série? Só está condição não justificaria a contratação de tantos jogadores sub 20. Definitivamente, o Presidente Guilherme Bellitani, destruiu a divisão de base do clube. Craque se faz em casa, já dizia os dirigentes do Grêmios há alguns anos.
    É inaceitável o Bahia, não tem um único jogador da base no time principal.
    Vejam que o rival com um time de maioria de jogadores feitos em casa, desponta com algumas revelações que trarão dividendos financeiramente e tecnicamente. Além disso, deve se considerar que mesmo com um time de garotas vem bem em todas competições, considerando as limitações do time, Rodrigo tem feito milagres com o que tem em mãos, deixando claro que sou tricolor nato para quem suscitar dúvidas.
    É só fazer uma retrospectiva, maioria dos clubes que conquistam campeonatos nacionais ou internacionais, tem jogadores da base no time principal. Porém se não há no clube profissionais competentes para filtrar bons valores, nenhuma divisão de base vai prosperar. Por outro lado, o clube precisa ter uma política de divisão de base para que a base tenha os resultados esperados.
    É frustante ver um clube como o Bahia, não priorizar divisão de base. Prefere contratar um caminhão de jogadores que vem para impedir o aproveitamento dos jogadores da base que estão no clube, desde a infância ou adolescência.
    Sugestão Bellitani, então acaba com a divisão de base e economiza alguns milhões.

  2. Gosto de apostas 3m jogador de clubes pequenos, custo baixo e retorno, no futuro, com uma boa venda. Tem que fechar os ouvidos para alguns torcedores que só sabem criticar, se em toda contratação tivesse escrito que daria certo, dirigente de futebol seria apostador de loteria

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*