Saldanha deixa o Bahia e é emprestado a clube do Japão

Saldanha foi promovido ao time profissional do Esquadrão de Aço em 2020

Foto - Felipe Oliveira / EC Bahia

Sem espaço no time principal do Esporte Clube Bahia, o atacante Matheus Saldanha está de malas prontas para atuar no futebol japonês. Nesta terça-feira (19), o jogador de 21 anos foi anunciado como novo reforço do JEF United Chiba, clube que disputa atualmente a J. League Division 2, a segunda divisão do Japão. Saldanha foi emprestado por um ano e o Esquadrão vai receber a quantia de R$ 500 mil pelo empréstimo. Promovido ao time profissional em 2020, Saldanha soma 34 partidas e 3 gols marcados com a camisa do Esporte Clube Bahia. O vínculo com o Esquadrão é válido até o fim de 2022.

 

Natural de Uberaba, interior de Minas Gerais, Matheus Bonifacio Saldanha Marinho foi contratado pelo Esporte Clube Bahia em 2018, após chamar a atenção na divisão de base do Osasco Audax. Inicialmente atuou pelo time sub-20 e também fez parte do elenco sub-23 que disputou e conquistou o Campeonato Baiano em 2020. Foram 12 jogos no Estadual e um gol marcado. Foi promovido ao elenco principal após o fim da equipe de transição no ano passado, e entrou em campo 22 vezes, entre Sul-Americana, Série A e Copa do Nordeste, marcando 2 gols no Brasileirão.

Comentários:

2 Comentário

  1. Eu queria que Belitani deixasse o Bahia, como boa parte da torcida deseja, mas não posso falar bem de nenhum jogador da divisão de base do Bahia, pois não consigo ver nenhum como destaque ou promessa que vai dar certo, o problema é que infelizmente hoje não é como antigamente, pois os abutres chamados empresários estão na cola e os realmente promissores não ficam por aqui, são oferecidos primeiro aos clubes do sul, principalmente aos queridinhos da CBF, pois lá a vitrine é maior consequentemente o retorno também, a mesma coisa se dá também com os profissionais, pois mesmo nosso time com avanço não é fácil trazer um jogador que venha aqui para somar salvo algumas exceções (Arthur, Gregore mais ou menos Zé Rafael) a concorrência desleal. O que deve ser feito é rejeitar bolhachas quebradas oferecidas por empresários é tentar montar um time de operários como o time do Ceará, lá você não ver nenhum jogador renomado, mas comprometidos, pois dão o suor e o sangue, provavelmente porque são muito bem tratados e respeitado pela direção do clube, não sei se acontece por aqui e talvez até esse seja o problema para que nossos jogadores entrem em campo sem espírito de luta, mal vontade e falta de respeito. Fora Belitani

  2. Foi emprestado pq falou a verdade… Que esse time medíocre formado por esses dirigentes marqueteiro de merda, tava pipocando! Aí puniram o cara por falar a verdade, como se ninguém tivesse vendo.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*