Bahia desperta no 2º tempo, vira em cima do Atlético-MG e respira na Série A

Bahia saiu atrás, sofreu, mas conseguiu vencer por 3 a 1 em Pituaçu

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Precisando vencer para se afastar da zona de rebaixamento ou ao menos empatar para se manter fora do Z4, o Esporte Clube Bahia sofreu, mas arrancou uma virada importantíssima e heroica vencendo o Atlético-MG de Jorge Sampaoli pelo placar de 3 a 1 na noite desta segunda-feira (19) no Estádio Metropolitano de Pituaçu, pelo complemento da 17ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. O Galo sufocou o time tricolor do primeiro minuto até uma parte do segundo tempo, e abriu o placar com Savarino, mas o Esquadrão despertou e cresceu na etapa final, buscou o empate com Daniel e a virada com Gilberto, que marcou o segundo e o terceiro, sendo decisivo para a conquista do quinto triunfo tricolor no Brasileirão, o quarto atuando em Salvador e o terceiro sob o comando do técnico Mano Menezes, que hoje não teve no banco e foi substituído por Jaime Freitas.

 

Com o triunfo, o Bahia chegou aos 19 pontos e saltou da 16ª para a 12ª colocação, ultrapassando Corinthians, Vasco, Botafogo e Ceará, abrindo 3 pontos da zona de rebaixamento que tem o Athletico-PR como primeiro integrante. Já o Atlético-MG que precisava vencer para manter a liderança, caiu para o 3º lugar com 31 pontos, sendo ultrapassado por Internacional (1º) e Flamengo (2º) ambos com 34 pontos.

O primeiro tempo foi praticamente um treino de ataque contra defesa. A estratégia do Bahia de jogar com quatro volantes (Gregore, Edson, Ramon e Elias) para povoar o meio de campo e tentar bloquear as investidas do Atlético-MG, deixando apenas Fessin e Clayson na frente, não surtiu efeito. O time mineiro encontrou um espaço enorme para jogar e sufocou o tricolor baiano do primeiro ao último minuto, mas só conseguiu marcar um gol na primeira etapa, aos 20 minutos, com Savarino.

No segundo tempo, o cenário foi o mesmo. O Atlético-MG seguiu pressionando e desperdiçando inúmeras oportunidades de aumentar o placar e até matar o jogo, mas quem não faz, toma. Aos 23 minutos, Gilberto cobrou falta forte no meio do gol, o goleiro Everson rebateu e sobra, Gregore ajeitou de cabeça para Daniel empatar. Após o gol, o Esquadrão cresceu e quase virou aos 27 com Marco Antônio perdendo excelente chance. Aos 34, Guga recuou mal, Gilberto arrancou, driblou o goleiro e com uma frieza imensa ainda fintou o zagueiro Rabello para virar a partida. Ainda teve tempo do terceiro, novamente com Gilberto, aos 43 minutos.

O próximo compromisso do Esporte Clube Bahia é no dia 31 de outubro, um sábado, às 19h, contra o Santos, na Vila Belmiro, valendo pela 19ª rodada do Brasileirão, já que o jogo contra o Fortaleza foi adiado devido a Copa do Brasil. O Peixe, que venceu o Coritiba, por 2 a 1, no Couto Pereira, ocupa o 5º lugar, com 27 pontos. O Esquadrão só volta a jogar em Salvador no dia 7 de novembro, contra o Botafogo, jogo que pode marcar o retorno do tricolor à Arena Fonte Nova.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 3 X 1 ATLÉTICO-MG
Campeonato Brasileiro – 17ª rodada
Local: Pituaçu, em Salvador
Data e Horário: 19/10/2020 (segunda-feira), 20h
Árbitro: Anderson Daronco (FIFA-RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (Fifa) e Michael Stanislau (ambos do RS)
VAR: Daniel Nobre Bins, com auxílio de Douglas Schwengber da Silva e Lucio Beiersdorf Flor (todos do RS).

Bahia: Douglas; Ernando (Nino Paraíba), Lucas Fonseca, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore, Edson (Marco Antônio), Elias e Ramon (Daniel); Clayson (Gilberto) e Fessin (Alesson). Técnico: James Freitas.

Atlético-MG: Everson; Guga, Júnior Alonso, Réver (Igor Rabello) e Guilherme Arana; Jair, Franco e Nathan (Sávio); Savarino, Keno e Eduardo Sasha (Marrony). Técnico: Jorge Sampaoli.

Deixe seu comentário

1 Comentário

  1. Sinceramente podem até me chamar de maluco, é possível ver o domínio amplo do Atlético Mineiro sobre o Bahia principalmente no primeiro tempo, mas chance de gol no primeiro tempo só o gol, as outras foram chutadas de fora da área e longe do gol e não foram muitas para dizermos que o Bahia foi salvo de uma goleada a não ser que esteja enganado, pois não vi nenhuma bola na trave tampouco Douglas ser exigido, fora o gol a defesa do Bahia se comportou muito bem dentro da área, Keno também não é essas coisas todas como dizem não é apenas um Elber melhorado, no Palmeiras foi melhor se fosse tudo isso permanecia na Europa, segundo tempo o Atlético teve duas chances mais claras, uma o cara colocou pra fora cara a cara com Douglas e a outra Douglas defendeu, então computando o geral o Bahia porque o que se comenta é a partida toda o Bahia foi superior ao Atlético, pois domínio e posse de bola nem sempre traz resultado sendo que objetividade conta mais, Bahia fez tres gols e teve mais chances claras do que o Atlético de fazer mais, vide que o goleiro deles fez milagre nos pés de Marco Antonio e teve muito trabalho no lance que Juninho Capixaba perdeu o gol de cabeça então foi mais incomodado do que Douglas mesmo que esse narrador otário do PFC tenha dito que o Atlético amassou o Bahia – pra mim apenas domínio territorial – outra coisa porém que devemos admitir é que o Bahia no primeiro tempo em termo de ataque principalmente nota 0, tudo natural devido a escalação, porém compreensível devido a questão física dos atletas, algumas pessoas pretensos torcedores do Bahia ficam detonando o time dizendo que escapou da goleada, mas não fala que o Bahia por exemplo contra o Goiás que teve chances de gols com Elias e desperdiçou, nessa hora chama o jogador de incompetente e não dizem que o Goias escapou de uma goleada, justificam dizendo que o Goiás é lanterna, mas esse lanterna ganhou para o poderoso Internacional jogando com um a menos desde o primeiro tempo, então por favor todos tem o direito de mostrar sua insatisfação, porém evitar o exagero e críticas agressivas que não servem para nada, aprendam a enxergar os pontos positivos e incentivar, em comparação aquele time de Roger nosso time melhorou bastante e vai melhorar mais ainda.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*