Zagueiro celebra nova chance no Bahia e fala sobre relação com Mano

"Incomoda muito, ainda mais a gente ali de trás", disse

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Com a derrota para o Corinthians, por 3 a 2, na última quarta-feira, na Neo Química Arena, o Esporte Clube Bahia chegou aos 18 gols sofridos, pior defesa do Campeonato Brasileiro, com quase dois gols sofridos por jogo. Desde o início da competição, várias duplas foram testadas, como Lucas Fonseca e Juninho, Ernando e Juninho, Lucas Fonseca e Juninho e na última partida Ernando e Wanderson. O único defensor que ainda não teve chance foi o jovem Ignácio, de 23 anos, destaque da extinta equipe de aspirantes. Titular pela primeira vez na Série A, o zagueiro Wanderson admite que a má fase e os gols sofridos incomodam bastante, é preciso ter a cabeça no lugar e trabalhar para reverter a situação.

 

“Incomoda muito, ainda mais a gente ali de trás, tomar gol é sempre ruim. É botar a cabeça no lugar, trabalhar nesses 10 dias e fazer um grande jogo contra o Athletico Paranaense”, disse.

O defensor também comentou sobre a oportunidade de voltar a jogar. “Fazia um pouco de tempo que não jogava. Desde a primeira partida da final do Baiano… Me senti bem, tive uma queda na parte física ali que é normal, mas me senti bem”, pontuou.

Wanderson já trabalhou com Mano Menezes no Corinthians, porém, não chegou a ser aproveitado. Ele falou sobre a relação. “Minha relação com o Mano é desde 2013. Nos meus exames, acabei não passando e fazendo uma cirurgia. Sou grato ao pessoal do Corinthians que poderiam me mandar embora, mas me aceitaram e fizeram minha cirurgia. O Mano me tratou da melhor forma possível. Foi uma grande lição de vida para mim”, relembrou o jogador, que comentou a sua participação em campo e elogiou o desempenho do time mesmo com o revés.

 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*