Clubes listam argumentos para volta do futebol no Ceará e citam o Nordestão

segundo os clubes, movimentaria o setor hoteleiro e gastronômico

A sede para conclusão da Copa do Nordeste só tem duas possibilidades. Ou será o Estado da Bahia ou do Ceará já que a Federação Pernambucana pulou fora da pretensão inicial pelo aperto do calendário e também por prioridade. O estado ainda não definiu data e ainda que venha definir em reunião agendada para a próxima terça-feira, não sediará a Copa do Nordeste. Evandro Carvalho, presidente da Federação Local, admite que a cidade não tem condições de realizar duas competições simultâneas e por isto, se for o caso, optará pelo retorno apenas do Estadual.

 

No Ceará, retorno das partidas de futebol foi inserido na terceira fase de retomada das atividades, divulgado pelo Governo do Estado no último sábado. Diante desse cenário, a Federação Cearense de Futebol (FCF) além dos presidentes de Ceará e Fortaleza, Robinson de Castro e Marcelo Paz, exigem retorno imediato do futebol no Estado.

Neste sentido, Ceará, Fortaleza e Ferroviário, através de nota unificada listaram seis argumentos para a volta das partidas. Entre elas, está a Copa do Nordeste que segundo os clubes, movimentaria o setor hoteleiro e gastronômico local. Os clubes também alegam que a atividade apresenta alto impacto econômico e baixo risco à saúde dos envolvidos, tendo em vista os protocolos utilizados para a situação.

Outra alegação são das datas de início do Campeonato Brasileiro das Séries A, B e C, marcado para o dia 8 de agosto e com duração até fevereiro de 2021 sendo assim, não haveria datas suficientes para a disputa do estadual muito menos a Copa do Nordeste. Além disso, a nota ressaltou o papel de entretenimento do esporte, que, segundo ela, seria algo positivo para a população, que “tanto sofre e se abala com o isolamento social”.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*