Botafogo divulga nota desaprovando retorno do futebol, mas entra em campo neste domingo

Botafogo apesar de relutar e ser contra, entra em campo neste domingo

Embalado pela pressão de Flamengo e Vasco, além de contar com o apoio e incentivo do presidente Jair Bolsonaro que não dá qualquer bola a grave crise do coronavírus, muitos menos aos mais de 56 mil mortos, o futebol carioca voltou na semana passada e terá prosseguimento neste domingo com mais quatro jogos, pior, a partir de 10 de julho já contará com público nos estádios, algo que neste momento me parece inimaginável. A medida foi publicada na sexta-feira, em edição extra no Diário Oficial, às 23h17. Em um primeiro momento, os estádios vão poder receber 1/3 de sua capacidade, com distanciamento de e 4m² por pessoa e vendas online, segundo informação do portal Globoesporte.

 

O Botafogo apesar de relutar e ser contra o retorno, entra em campo neste domingo, às 11 horas, contra a Cabofriense, no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, pela quarta rodada da Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca, no entanto, antes disso, o clube alvinegro e seus jogadores publicaram uma nota em uma das redes sócias desaprovando as decisões da prefeitura do Rio de Janeiro. “Somos apaixonados pelo que fazemos, o futebol é a nossa vida, mas entendemos que o momento não é o ideal para colocar novas vidas em risco diante de um cenário em que a contagem de mortos, infelizmente, é diária”, diz a nota

Confira a íntegra do comunicado:

“O elenco do Botafogo de Futebol e Regatas vem a público lamentar e demonstrar total desaprovação ao retorno do Campeonato Carioca diante de uma pandemia mundial de grandes proporções e também à punição do TJD ao nosso comandante, Paulo Autuori, por nos representar perante a sociedade.

Somos apaixonados pelo que fazemos, o futebol é a nossa vida, mas entendemos que o momento não é o ideal para colocar novas vidas em risco diante de um cenário em que a contagem de mortos, infelizmente, é diária. No aspecto esportivo, necessitamos de tempo para a preparação e prevenção de lesões, o que se torna inviável com um retorno prematuro.

Somos profissionais e estamos treinando sob os rigorosos cuidados do clube, que desde sempre priorizou a nossa saúde e de seus colaboradores. Sabemos que não estamos sozinhos nessa luta e que “honrar as cores do Brasil de nossa gente” é mais do que uma frase no hino do centenário clube que defendemos.

Seguimos fortes para enfrentarmos os obstáculos que encontraremos pela frente, todos juntos pela vida e pela liberdade de expressão. Vamos a campo representar a Gloriosa instituição, mas sob protesto.”

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*