“É preciso internar Jair Bolsonaro”, diz Paulo Carneiro, presidente do Vitória

"Sou cidadão e esse cara é um louco furioso", disparou PC

Em entrevista nesta sexta-feira ao radialista José Eduardo na Rádio Metrópole, o presidente do Vitória, Paulo Carneiro garantiu que o clube irá apresentar um protocolo de retorno aos treinos para a prefeitura de Salvador, com objetivo de retornar às atividade em meio pandemia de coronavírus.

 

“Estamos entregando a prefeitura um protocolo pedindo para treinar. Vamos aguardar a manifestação da prefeitura. Mas, com todo respeito e sem confrontar nada, estamos completamente alinhados à política sanitária do governo, que tem sido muito bem sucedida, diga-se de passagem. Estamos, como cidadãos, satisfeitos de ver as medidas sendo tomadas e as estatísticas do controle da epidemia na Bahia. Estamos entre os melhores na política sanitária“, afirmou Paulo Carneiro.

Questionado sobre uma possível data para retorno do futebol brasileiro, o presidente disse que não pensa em uma data tão próxima, como meados de junho e julho. “Antes de agosto não acontece nada. Se a curva está crescendo, tivemos 26 mortes num dia ontem. Como posso pensar em junho? Estamos em maio, não consigo pensar em junho”, apontou o mandatário rubro-negro, que aproveitou para criticar o presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem partido).

Antes defensor de Bolsonaro, Paulo Carneiro declarou que ele é um “louco furioso” e reclamou da demissão do ministro da Saúde, Henrique Mandetta sem ainda mencionar o pedido de demissão do substituto Nelson Teich hoje pela manhã após discordâncias com o presidente sobre as medidas para combate ao coronavírus, notadamente pela exigência do presidente pelo uso da cloroquina no tratamento da Covid-19, condenada em todo o mundo.

“Num país em que vivemos essa politicagem. O ministro da Saúde sai com a política e o presidente desqualifica o ministro publicamente. Por que não fez isso a portas fechadas e alinhar? Tudo era jogo político. O cara tinha 70% de aprovação, vamos tirar o cara e o povo paga essa conta. Defendi como nunca o atual presidente da República, mas não sou cego e nem fanático. Sou cidadão e esse cara é um louco furioso e tinha que internar”, criticou.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*