Ministério Público mantém recomendação de torcida única no Ba-Vi

Mesmo com decisão do STJD, MP-BA mantém recomendação

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Mesmo com a decisão Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o Ministério Público do Estado da Bahia manteve a recomendação de torcida única para o clássico BA-VI do próximo dia 8, na Arena Fonte Nova, pela terceira rodada da Copa do Nordeste. Como o mando de campo é do Bahia, apenas os tricolores poderão assistir ao jogo no estádio. A recomendação foi encaminhada na sexta-feira (31), pelo promotor de Justiça Carlos Robson Leão, à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e à Federação Bahiana de Futebol (FBF), aos clubes Bahia e Vitória, às Polícias Militar e Civil e à Guarda Municipal de Salvador.

 

Conforme o Ministério Público, em caso de descumprimento da recomendação, as entidades responsáveis pela organização da competição, clubes, associações de torcedores, inclusive seus dirigentes, serão responsabilizados por qualquer evento de violência ocorrido no “perímetro de segurança externo definido pelos órgãos de segurança pública”. Desde 2017, quando um torcedor foi morto nas proximidades da Arena Fonte Nova, os jogos entre Bahia e Vitória são realizados com torcida única por recomendação do MP-BA. A exceção foi em um Ba-Vi de 2018, no Barradão, que teve as duas torcidas. No entanto, o MP-BA voltou a recomendar torcida única, assim como em 2019 e 2020.

Na última quinta-feira, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determinou portões fechados para todos os jogos com recomendação do Ministério Público para que sejam disputados com torcida única. Com a decisão, o clássico BA-VI do próximo dia 8 de fevereiro, pela terceira rodada da Copa do Nordeste, poderá ser disputado sem torcida caso o MP-BA não retire a recomendação. No entanto, perguntado por um torcedor sobre o assunto nas redes sociais, o presidente Guilherme Bellintani descartou a possibilidade e garantiu que está “tudo normal”.

Bellintani sobre Ba-Vi com portões fechados: “Não existe essa possibilidade”

 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*