Torcida LGBT do Esporte Clube Bahia lança camisa

Camisa pode ser vendida nas lojas oficiais do Bahia

Sem entrar no mérito ou fazer qualquer juízo de valor, portanto, apenas como efeito de registro já que o assunto é parte integrante do universo das notícias relativas ao Esporte Clube Bahia em mais uma ação abraçada pelo clube, a Torcida LGBTricolor lançou nesta segunda-feira (09), pelas redes sociais, uma camisa que traz as cores do arco-íris, símbolo da diversidade sexual. Ainda de acordo representante LGBTricolor, Onã Rudá, a iniciativa tem apoio do clube tricolor. “A ideia é colocar a camisa para vender na loja, mas ainda não temos tudo certo”, garantiu Rudá ao site da Metrópole. Creio que deve esgotar em poucos minutos custe o que custar.

 

Relacionar o esporte mais popular do país a assuntos de relevância social e humanitária se tornou regra no clube há quase dois anos, quando passou a dar atenção especial a causas sociais, com o Núcleo de Ações Afirmativas do Bahia. A ideia surgiu em janeiro de 2018, como explicou Bellintani em entrevista ao UOL: “Dentro de um projeto de rever a nossa relação com a torcida, que estava afastada, principalmente o torcedor de menor poder aquisitivo. Salvador é uma cidade com desenvolvimento econômico pequeno. Somos formados por torcedores e habitantes de baixa renda. E essas pessoas estavam excluídas dos estádios, principalmente depois dos fenômenos de arenas no país”, disse.

De lá para cá, foram várias campanhas de impacto social de engajamento em diversas causas, que buscam fortalecer a cidadania, como o combate à violência contra mulheres, discussão do racismo, realização de exames de DNA de graça para tirar dúvidas sobre paternidade e, mais recentemente, o desastre ambiental pelo vazamento de óleo nas Praias do Nordeste, com a criação de uma camisa fazendo alusão a mancha de óleo que foram leiloadas para ajudar grupos de voluntários.

Outra luta do clube, que não é de hoje, é para combater a homofobia e como mais uma forma de ter uma arquibancada mais democrática e inclusiva, sem distinção ou preconceito entre os torcedores, o presidente Guilherme Bellintani abraçou a ideia e o clube apoiou a criação da torcida LBGTricolor, que foi bem recebida também pela principal torcida organizada do clube, a BAMOR. A criação da torcida é uma iniciativa do Grupo Orgulho Tricolor e da União Nacional LGBT.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*