São Paulo só pode oficializar rescisão do goleiro Jean após as férias

Clube paulista decidiu encerrar o vínculo com o goleiro

Nesta quarta-feira, o goleiro Jean foi preso nos Estados Unidos acusado de agressão a sua esposa. Após o ocorrido, o São Paulo se pronunciou com uma nota curta informando que estava acompanhando o caso. Em seguida, o clube paulista confirmou que tomou a decisão, que será rescindir o contrato do arqueiro, porém, as medidas só serão tomadas após o período de férias, já que, questões legais que impedem qualquer iniciativa neste momento – veja nota ao final do texto. O arqueiro segue detido e nesta quinta-feira acontece a audiência, marcada para 15h (horário de Brasília). A Justiça dos EUA irá definir se o caso de agressão do jogador de 24 anos é passível de fiança ou não.

 

Segundo o advogado brasileiro Alvaro Gubert, que atua no estado americano, em casos semelhantes a justiça americana determina um valor de fiança a ser pago pelo acusado. O valor geralmente varia de US$ 1,5 mil (cerca de R$ 6 mil) a US$ 5 mil (R$ 20 mil), segundo o advogado, a depender do pedido da promotoria, que leva em consideração o tipo de crime, a violência empregada e a condição econômica de quem está preso. Uma vez paga a fiança, Jean poderá retornar ao Brasil. O processo será levado à frente – e isso independe de a vítima voltar atrás nas acusações.

VEJA A NOTA

“O São Paulo comunica que tomou uma decisão sobre o futuro do atleta Jean Paulo Fernandes Filho após averiguar detalhes do episódio ocorrido na data de hoje. Por questões legais que impedem qualquer iniciativa durante o período de férias, vigente neste momento, o clube tomará as medidas cabíveis tão logo esta etapa se encerre.

O São Paulo reforça que vestir a camisa desta instituição representa vestir também valores dos quais jamais abrirá mão. O jogador de futebol é exemplo para a sociedade – forma opinião e influencia comportamento – e por isso tem de ter consciência daquilo que representa pelo que faz não só dentro, mas também fora de campo, e consequentemente da responsabilidade que carrega.

O São Paulo não tolera e não admite episódios como os que foram noticiados hoje, de violência contra a mulher.

Quanto ao outro caso noticiado, referente ao atleta que foi fotografado vestindo uma camisa de outra instituição, o São Paulo lamenta, mas pede que não seja assunto para hoje. Os episódios não se equiparam, têm grandezas e gravidades completamente diferentes e não devem ser objetos de discussões simultâneas. O caso sobre o qual se trata aqui faz referência aos mais importantes valores da vida humana em sociedade, enquanto o outro, perto disso, é um detalhe que aborrece a instituição, mas que será tratado internamente.”

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*