Segmento da torcida do Grêmio repudia convite feito a Jair Bolsonaro por Renato Gaúcho

Movimento Grêmio Antifascista divulga nota

O Presidente Jair Bolsonaro, após eleito, transformou-se um desportista de primeira ordem, frequentando estádios, vestindo camisas de variados clubes. Ontem esteve no empate em 1 x 1 entre Santos e São Paulo, na Vila Belmiro, onde recebeu vaias e aplausos, e promete comparecer à final da Libertadores entre Flamengo e River Plate, no dia 23 de novembro, em Lima no Peru. Antes do jogo contra Santos, parte da torcida santista mostrou-se descontente com a presença do presidente no Estádio, insatisfação que, aliás, contou com o endosso do técnico Jorge Sampaoli. Com a repercussão negativa, o técnico Renato Gaúcho, que se diz amigo do presidente, em entrevista recente garantiu que em conversa por telefone fez o convite formal para que compareça para assistir o jogo contra o Palmeiras. agendado para o próximo domingo, em São Paulo.

 

– Ele me ligou e conversamos e aproveitei para convidá-lo a assistir ao jogo contra o Palmeiras no outro domingo. Ele disse que faria o possível, mas estava com agenda um pouco cheia. Mas fiquei muito feliz – afirmou Renato.

No entanto, o convite não agradou a todos os torcedores gremistas. O Movimento Grêmio Antifascista, por exemplo, divulgou uma carta aberta nas redes socais em resposta a um convite que segundo eles é desapropriado e explicam suas razões

Os torcedores dizem que a presença de Bolsonaro em um jogo do Grêmio os “ofende profundamente” e pedem que ele “jamais se faça presente em qualquer evento que envolva” o time.

Confira a íntegra da carta:

Renato Portaluppi, nós (a multidão de quase 8 milhões de torcedores do Grêmio FBPA) estamos aqui para te lembrar algumas coisas antes que convides teu candidato racista e neofascista para assistir a um jogo do nosso clube.

Em nossa bandeira, se olhares bem, há uma estrela. Consegues ver? Esta estrela homenageia Everaldo, nosso lateral-esquerdo que morreu tragicamente em um acidente e jogou na seleção brasileira no fim dos 60 e início dos 70.

Pois bem, ele era negro e Bolsonaro, como bem deves saber pelas inúmeras falas do mesmo, é racista (mesmo que aperte a mão do Paulo Negrão como ele gosta de dizer, lembrando muito o torcedor racista do Atlético Mineiro nessa semana que se defendeu do ato racista que cometeu contra um segurança do Mineirão dizendo que cortava cabelo com um negro).

Renato, sabe o nosso hino? Então, quem o compôs foi Lupcínio Rodrigues, grande compositor também negro e como já dissemos ali em cima, todo mundo sabe (mesmo que alguns não admitam) que Bolsonaro é racista.

Nos quase 8 milhões de torcedores do Grêmio há grande parcela trabalhadora que gostaria de se aposentar e ter vencimentos dignos em suas aposentadorias. Acontece que teu candidato e amigo dificultou (quando não impossibilitou) a aposentadoria. Pior que isso, seu ministro da Economia Paulo Guedes quer capitalizar a Previdência aos moldes chilenos. Tu sabes como tá o Chile atualmente, Renato? E sabe por quê? Uma dica, tem muito a ver também com a previdência e as aposentadorias miseráveis pagas aos idosos chilenos. Bolsonaro quer fazer isso com nosso povo, Renato.

Sabe, Renato, que também entre nossos 8 milhões de torcedores infelizmente temos um grande contingente de desempregados e não bastasse a própria condição de falta de emprego (mais de 13 milhões no país segundo dados oficiais estão desempregados), o teu amigo Bolsonaro nesta semana passada TAXOU os desempregados. Isto mesmo, acredite! Talvez não saibas disso já que ganhas milhares de vezes mais do que a média do povo brasileiro e é difícil entender nesta tua condição como é a vida do cidadão comum que está desempregado sem perspectivas.

Acredite em nós porque somos grande parcela do povo gremista que está tendo suas vidas diretamente prejudicadas por teu amigo Bolsonaro.

Por fim, saibas que guardaremos em nossos corações teus grandes momentos como jogador e técnico do Grêmio, mas ainda assim, mesmo que tenhas uma estátua tua na esplanada do estádio, tu não és maior que a instituição, quanto menos és maior do que nós, a multidão de torcedores gremistas: nós somos negros, indígenas, pardos, brancos, gays, lésbicas, trans, héteros, ateus, cristãos, evangélicos, judeus, muçulmanos, umbandistas, agnósticos… enfim, somos a multiplicidade que faz com que o Grêmio exista.

E é exatamente a multiplicidade do povo que o teu amigo Jair Bolsonaro odeia, oprime, subjuga e combate. Por isso, Renato, Romildo Bolzan e Grêmio FBPA, a presença do atual presidente em um jogo do nosso amado Grêmio nos ofende profundamente e por isso pedimos que jamais se faça presente em qualquer evento que envolva o nosso amado Grêmio o presidente que odeia a multiplicidade do povo, este que é a essência de nosso clube.

Ele Não! Ele Nunca!

Movimento Grêmio Antifascista

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*