O Vitória de hoje tem a cara do Esporte Clube Bahia de ontem

Vitória passa por uma dura crise financeira

Foto - Tiago Caldas / ECVITORIA

Há anos atrás, o Esporte Clube Vitória e seus torcedores se orgulhavam acertadamente do equilíbrio financeiro do clube, especialmente quando usavam como referência de comparação, o Esporte Clube Bahia que de FATO viveu uma época de quase de insolvência pela má gestão de administrações passada que não vale mais mencionar os nomes por nada agregar, aliás, hoje eles servem apenas como uma forte lembrança e um enorme ensinamento do que nunca mais devemos permitir ou compactuar. As coisas mudaram e transformaram o tricolor de aço que ainda está no processo de recuperação, em um clube que caminha em passos retos e certos em direção para restabelecer seu respeito e prestigio e agora também com resultados dentro de campo.

 

O Esporte Clube Vitória curiosamente faz o caminho exatamente contrário, como fosse algo impossível ter os dois clubes baianos em processo de avanço simultaneamente, como o brejo precisa sempre está ocupado por um deles. O Leão hoje está inserido na Série B que de todos os males não é o pior, a questão reside exclusivamente na total ausência de perspectiva para qualificar um time de baixíssima qualidade técnica, seguramente resultado agora da ausência de recursos para fazer diferente.

A eleição de Paulo Carneiro que inicialmente parecia dá indícios de uma sacudidela, algo como levantar a moral das tropas e a reboque mover e mobilizar a torcida rubro-negra, simplesmente não aconteceu (ainda que reconheça o curtíssimo espaço de tempo modificar quase nada em alguma) e assim, Leão que já estava manso até mimoso com seus adversários até mesmo no Barradão, agora repousa quase que resignado na última posição de um torneio onde o valente é o Bragantino e o Botafogo de Ribeirão Preto

Para entender tal estado, basta lê ou reler a entrevista do presidente do Conselho Deliberativo do Vitória, Fábio Mota a repórter Adélia Félix do site da Metrópoles onde afirmou que o Leão atravessa uma grave crise.

“Não é fácil você assumir dívidas, assumir compromissos, acordos não cumpridos, e você conseguir reforçar a equipe sem dinheiro. A grade realidade é essa, o clube não tem um centavo. Só tem dívidas. E, a realidade está exposta para o Brasil inteiro”

Na oportunidade, Mota disse que não acredita na queda do clube para Série C do Campeonato Brasileiro.

“Eu acredito que nessa parada da Copa América se ajuste o clube. Vou te dar um número aqui. O Vitória tem hoje uma estrutura de Série A, está na Série B, e tem receita de Série C. Imagine você pilotando uma equipe R$ 5,5 milhões e arrecada R$ 1,3 milhão. Todo mês tem um buraco de R$ 3,5 milhões. Durante 10 meses são R$ 36 milhões de buraco e rombo no orçamento do Vitória”.

Ainda acrescentou: “Não tem mais a divisão de base de antigamente. Não tem perspectiva de venda de jogador, não tem novas revelações. E, ninguém esperava. Não é fácil sair dessa situação”.

Deixe seu comentário

17 Comentário

  1. Paulo OVELHA! larga o nome do BAHIA! sua desgraça, você e sua arrogância só engana os sofredores do mamão com açúcar (vulgo galinha fujona). O BAHIA mesmo quando foi para a serie C, não era essa caixa de pancada todA e alem do mais temos passado (BI – CAMPEÃO DO BRASIL). VÁ DÁ MEIA HORA DA SUA MAQUINA DE FAZER COCÔ SEU IDIOTA.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*