As estreias de Bahia e Vitória foram fiéis aos momentos distintos que vivem

Leão perdeu para o Botafogo-SP; Esquadrão venceu o Corinthians

Foto Montagem (Tiago Calil / AGIF - Felipe Oliveira)

Iniciamos o Campeonato Brasileiro e a expectativa foi fiel aos momentos distintos que nossos dois maiores clubes vivem. Vitória foi atropelado pelo modesto Botafogo-SP que entra na Série B sem muita expectativa de acesso, brigando muito mais para tentar não cair. Enquanto isso, o Bahia conseguiu um importante triunfo nada menos que contra o Campeão Paulista. Nem sempre a regra do futebol prevalece, começar vencendo é muito importante, mas, o que prevalece para os torcedores é como iremos terminar, e dentro deste contexto identificamos o que cada um dos nossos maiores clubes precisam fazer. O Bahia necessita trazer com tranquilidade quatro reforços de qualidade para serem titulares se quiser alcançar voos bens mais altos no Brasileirão. Se fizer isso será o melhor e maior marketing para alavancar o aumento do número de associados, que está diretamente ligado ao bom resultado em campo.

Apesar do torcedor do Vitória está completamente desacreditado, resultado do pífio desempenho em campo desde ano passado e com 13 jogos sem sequência sem vencer, para aumentar ainda mais esse pessimismo, este ano o Leão foi eliminado precocemente de quase todas as competições que disputou, contra times tecnicamente fracos, mas, o torcedor ganhou um grande alento com a eleição de Paulo Carneiro, principalmente pela saída antecipada do atual presidente Ricardo David. Ninguém pode duvidar da qualidade desse dirigente, e digo sem medo de errar que o Vitória subirá novamente,. O que Carneiro precisa é crescer como pessoa pela sua experiência e tentar mudar seus defeitos que lhe renderam muitos problemas.

Precisamos crescer o nível dos nossos dirigentes. Querer bater em jornalistas é coisa do passado, querer desmerecer o seu maior rival, esquecendo-se que este mesmo clube lhe ajudou a levar o sustento para sua família quando se encontrava no ostracismo, além de projetá-lo nacionalmente como Gerente de Futebol, sendo logo em seguida contratado pelo Athletico-PR.

 

Para não fugir a regra da carreira desse dirigente lá no Paraná também se envolveu em polêmica quando liberou o jogador Walter “Gordinho” tentando mediar um atrito entre o jogador e o técnico Paulo Autuori, gerou revolta da torcida atleticana culminando com sua demissão. Todo ditador é prepotente e arrogante, e tem muita dificuldade em ouvir opiniões contrárias, fazendo uma analogia ao presidente do Brasil vemos que muitos jornalistas que não dizem o que ele quer estão sendo perseguidos e ameaçados, outros demitidos já que as emissoras Religiosas e a do Baú agem como repetidores oficias do Governo.

Carneiro sabe que teve o apoio de dirigentes que controlam o clube e antes eram seus inimigos, porque nenhum deles quer se expor e se precisar fazer “trabalho sujo”, faz para alcançar resultados, e depois que o clube tiver em ordem ele será descartado. Aliás, ele declarou em uma entrevista confessando que já ganhou vários campeonatos comprando árbitros e jogadores, colocando em cheque a seriedade do campeonato, e o mais intrigante disso é que o Presidente da Federação, Sr. Ednaldo Rodrigues, não tomou nenhuma providência para preservar a idoneidade dos seus árbitros, o que deu mais credibilidade suas declarações.

A diretoria do Bahia precisa ficar bem atenta para confecção da tabela Copa do Nordeste para que o Presidente da Liga Sr. Alexi Portela não cometa o mesmo equivoco deste ano, de colocar uma chave muito forte e outra bem fraca. Tem que ficar atento também com a tabela do Campeonato Baiano para que o Presidente da Federação não cometa sempre o mesmo erro, o Bahia estrear sempre fora, enquanto o rival infinitamente desde que o antigo dono da Federação se apossou, estreia em casa. Este ano, além do Vitória estrear em casa, seu último jogo também foi em casa.

Esperamos que o nosso futebol alcance os resultados que seu torcedor merece. E uma mensagem final fica para todas as pessoas que acham que são imunes a críticas e agem com arrogância, “A Prepotência é Um dos Ingredientes da Arrogância que Alimenta um Suposto Poder que Quanto Maior se Faz Mais Alto Será o Eco do Desabamento”.

Jorge Machado – Torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*