São Paulo pode negociar Jean com o Benfica; Bahia tem 30% dos direitos

São Paulo ainda tenta ficar com 100% do passe

Contratado pelo São Paulo em dezembro de 2017 em uma transação iniciada pela gestão Marcelo Sant’Ana e concluída pelo o atual presidente Guilherme Bellintani, o goleiro Jean, de 23 anos, terminou 2018 como titular da meta são paulina após uma disputa acirrada com Sidão. Porém, com a chegada de Tiago Volpi, o ex-tricolor deve perder espaço e, diante do interesse de clubes europeus no seu futebol, pode deixar o Morumbi ainda no início de 2019. No ano passado, Jeanzinho fez apenas 18 jogos e esse ano terá uma forte concorrência e precisará trabalhar dobrado para se manter como dono da camisa 1.

A insistência do São Paulo em adquirir os outros 30% dos direitos econômico do goleiro Jean tem um forte motivo. O jogador é cobiçado por clubes europeus, casso de Inter de Milão, Benfica, Porto e Manchester City recentemente. Porém, neste sábado, fontes próximas ao atletas afirmam que o destino mais provável é o futebol português onde deve vestir as cores do Benfica que fez uma sondagem e iniciou conversas para contar com o jovem arqueiro. A chegada de Tiago Volpi ao Morumbi aumentou a possibilidade de saída do jogador.

Apesar da insistência do São Paulo, o Bahia não aceitou vender o passe do goleiro. Victor Ferraz afirma que não existem tratativas para negociar a parte do jogador e nem o desejo de se desfazer da porcentagem. “Então o Bahia tem o percentual, é um atleta que é virtuoso, que tem um futuro promissor pela frente. E, por enquanto, é um ativo que o clube mantém. Não tem nenhum tipo de tratativa neste sentido”, assegurou.



No fim de 2017, o presidente Guilherme Bellintani explicou os detalhes da transação: O São Paulo adquiriu 70% do goleiro por valor líquido e aproximado de R$ de 9 milhões (valor específico, sem comissões de empresários, parcelados em dois anos) – chegou-se a ser comentado pela imprensa, e até hoje dizem, que o valor foi de 6,8 milhões com mais 4 milhões caso o jogador cumprisse metas.

Além da quantia, o Esquadrão ficou com o meia Régis em definitivo com contrato de três anos. E também envolveria um segundo atleta. Muito se falou no zagueiro Iago Maidana, de 21 anos, que acabou acertando com o Atlético-MG. A diretoria tricolor ainda estaria no prazo para decidir qual atleta desejaria e se este teria interesse em vir e ainda se estaria dentro da realidade do clube.

No entanto, após vasculhar o elenco do São Paulo na época, o Bahia não encontrou boas opções e desistiu de trazer um jogador do clube do Morumbi. Sendo assim, como ficou acordado em contrato, o Esquadrão recebeu uma porcentagem maior do meia Régis, um dos envolvidos na negociação, ao invés de optar pela vinda de um atleta.

Vice-presidente do Bahia nega proposta por Ramires e tratativa por Jean

Deixe seu comentário