Cota do Baianão pode ganhar relevância dentro do orçamento do Vitória em 2019

As cotas da Série A devem ser uniformes para os 20 clubes

Os Campeonatos Estaduais resistem ao tempo e mesmo trazendo prejuízos conhecidos de forma antecipada, vão abrir o calendário do Futebol Brasileiro na sua temporada 2019. Financeiramente é uma tragédia. De acordo as informações do jornalista Cássio Zirpolli que milita na imprensa esportiva de Recife e mantém seu BLOG de ótima qualidade sempre atualizado, a TV Bahia – que tem o direito de transmissão da competição como exclusividade já por 9 anos – pagará ao Bahia e Vitória uma cota de R$ 974 mil para cada um, tendo aumento de cerca R$ 124 mil considerado ao valor pago no ano passado.

Para temos uma ideia simplista. Os clube como Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras, vão receber 17 milhões pela participação do regional paulista. No Rio de Janeiro, 15 milhões será a cota considerando os clubes grandes. No Rio Grande do Sul, 12,5 é o que recebem Grêmio e Internacional. Em Minas Gerais, Cruzeiro e Atlético-MG vão embolsar 11 milhões sendo que o América-MG, como terceira força terá cota de 3 milhões de reais. No Ranking geral, Bahia e Vitória aparecem na décima quinta posição, atrás do Sport-PE recém rebaixado para o Brasileiro da Série B que receberá um milhão no Campeonato Pernambucano.

No entanto, mesmo sendo um valor irrisório, o amigo e tricolor Ramon Santos acredita que as cotas dos Estaduais podem ganhar relevância para os clubes rebaixados à Série B do Brasileiro, casos de Vitória e Sport-PE, devido à redução das cotas da Segunda Divisão do Brasileirão.

Em reunião realizada em dezembro de 2018, o Conselho Deliberativo do Vitória rejeitou a proposta orçamentária da diretoria para 2019, que girava na casa dos R$ 73 milhões. A decisão do foi baseada no fato da diretoria não ter entregue o orçamento ao Conselho Fiscal antes de submetê-lo a votação. Com a recusa, foi liberado um orçamento provisório de R$ 5 milhões para esse mês e foi marcado um novo encontro para o dia 28 de janeiro para avaliar novamente o orçamento sugerido pela diretoria rubro-negra.

Segue abaixo:



“Com a redução das cotas da Segunda Divisão do Brasileirão, as dos Estaduais podem ganhar relevância dentro dos orçamentos dos clubes participantes. Sendo assim, veremos quanto receberá (em reais) cada uma das equipes que irão disputar a Série B em 2019.

Ponte Preta e Guarani – 5 milhões;
Botafogo-SP, Bragantino, Oeste e São Bento -3,3 milhões;
América MG – 2,9 milhões;
Brasil de Pelotas – 1,5 milhão;
Sport – 1 milhão;
Vitória – 974 mil;
Criciúma e Figueirense – 650 mil;
Coritiba, Operário, Paraná e Londrina – 450 mil;

Não foi possível ranquear as cotas das equipes que disputam o Campeonato Goianiense, pois não há um valor predeterminado por equipe:

Atlético-GO e Vila Nova – Campeonato com 12 equipes, sendo que foram disponibilizados 1 milhão e oitenta mil reais para serem distribuídos, sendo que os mandantes dos jogos transmitidos receberiam 60% da cota e os visitantes 40%. O Atlético GO aparentemente, não deve assinar o acordo.

Não foram localizados os valores dos Campeonatos Alagoano e Mato-grossense, para apurar os valores e se de fato serão transmitidos os jogos das equipes, respectivamente do: CRB e Cuiabá.

Claro que há outras receitas, como as de outras disputas, como a Copa do Brasil, Copa do Nordeste e outras, mas de qualquer forma, vale o registro, já que a cota do Brasileirão reduzirá substancialmente em 2019, reduzindo a sua importância econômica para aqueles clubes recentemente rebaixados. As cotas da Segundona devem ser uniformes na faixa entre 6 a 9 milhões de reais (algumas fontes afirmam que será R$ 7 milhões divididos igualmente para cada um dos 20 clubes).”

Ramon Santos, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Dando prosseguimento no assunto: Em 2018, a Globo pagou R$ 169,79 milhões pelos direitos de transmissão da Série B, sendo que Coritiba (R$ 35 milhões) e Goiás (R$ 26.250.000) receberam 36% de toda a receita, enquanto os demais times dividiram um bolo de R$ 108 milhões (R$ 6.030.000 cada). Como informou o jornalista Cássio Zirpolli no seu BLOG.

O Coritiba, que era um remanescente do modelo atual de contrato da Série A, manteve os R$ 35 milhões que recebia, no entanto, para a Série B 2019, a cota irá ser de aproximadamente R$ 7 milhões divididos igualmente para cada clube, o que corresponde ao Coxa um decréscimo de R$ 28 milhões em relação à temporada passada, em que o clube foi o que mais recebeu em cotas de TV, acima do Goiás, com R$ 26,5 milhões e dos demais 18, cada um com cerca de R$ 6 milhões.

As cotas de TV da Série A 2019 levarão em conta novos critérios, tanto para TV aberta quanto para TV fechada. Para a Globo, a oferta é de uma divisão entre 40% do valor de forma igual, 30% pela classificação e outros 30% pela projeção de audiência, de um total de 600 milhões e 20 clubes; para o Esporte Interativo, são 520 milhões a serem divididos entre os clubes que têm contrato com o canal e estejam na Série A, com 50% de forma igual, 25% pela classificação e 25% pela projeção de audiência, de acordo com o UOL.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*