Caso Juninho: Presidente do Bahia desmente Jornal e dirigente do Ceará

"Deve dar algum prazer isso", ironizou o presidente

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Em entrevista ao Jornal Cearense O POVO na última terça-feira, o presidente do Ceará, Robinson de Castro, confirmou a permanência do volante Juninho, que está emprestado até dezembro deste ano e tem contrato com o Bahia até o fim de 2019. O mandatário revelou que o clube baiano tinha um prazo para solicitar o retorno do jogador e como não aconteceu, ele assinaria em definitivo com o Vozão. O jornal, na matéria, afirma que o prazo se encerrou no último dia 15 de dezembro.

“Juninho tem contrato. Deve ficar. O Bahia tinha até dezembro para pedi-lo de volta. Não fez, ele volta para o Ceará. Tem contrato até o fim de de 2019. Só que vai mudar a modalidade, deixar de ser empréstimo para ser definitivo”, afirmou o presidente do Ceará, ao O Povo.

No entanto, o presidente Guilherme Bellintani, através de mensagem no Twitter na manhã desta quarta-feira (26), ao ser questionado por um torcedor sobre o assunto, negou a informação e ironizou afirmando que “quem falou isso não teve acesso ao contrato”. No entanto, o próprio presidente do Vozão confirmou a informação ao Jornal Esportes O Povo.

“Quem falou isso não teve acesso ao contrato. Falou porque quis falar sem saber do que estava falando. Deve dar algum prazer isso”, disse Bellintani.

Veja mais abaixo



Perguntado por outro torcedor se Juninho sairá de graça, Bellintani respondeu: “O conceito de “de graça” é relativo. Qualquer jogador cujo contrato se encerra na prática “sai de graça, sem que o clube permaneça com nenhum direito econômico. Não é caso de Juninho, que em breve passaremos as decisões e as informações de forma transparente”.

Bahia não solicita retorno e Juninho agora é atleta do Ceará em definitivo

Comentários:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*