Marcelo Lomba fala dos seus sentimentos pelo Bahia e sobre a torcida

Com passagem de sucesso e tratado como ídolo quando conquistou dois títulos baianos, porém, também com momentos conturbados, o goleiro Marcelo Lomba vai se reencontrar com o Esporte Clube Bahia nesta quarta-feira (22), às 19h30, na Arena Fonte Nova, pela abertura do segundo turno do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva em Salvador, o arqueiro falou sobre seus sentimentos pelo Esquadrão, de gratidão e respeito, avisou que irá no vestiário rever os amigos, mas que dentro de campo a coisa muda e pede concentração ao Inter. Ele também falou sobre a torcida tricolor, que “vai lotar, cantar e empurrar”.

“Quando me lembro do Bahia, as palavras que vêm são respeito e gratidão. Fiz muitos amigos, tive bons momentos e é sempre bom voltar. Vou poder ir ao vestiário para abraçar aqueles que já joguei, mas dentro de campo teremos que ter muita concentração e cada um defenderá seu lado. Mas como falei, o respeito será para sempre (…) A torcida do Bahia vai lotar, cantar e empurrar. Pude viver isso durante muitos anos. Entretanto, no Inter temos grandes jogadores e acima de tudo um elenco muito comprometido. Será um grande jogo, com muita marcação, pois são dois ataques velozes”, disse.

“As duas equipes estão em bons momentos. Tive a oportunidade de assistir ao Bahia contra Palmeiras e Cruzeiro. É uma equipe forte que vem jogando bem segura na defesa, e há um bom tempo tem um ataque muito forte e rápido. Recentemente com a chegada do Gilberto ganhou um homem de área, então será um grande jogo”, analisou.



Lomba chegou ao Bahia em 2011, emprestado pelo Flamengo, e acabou ficando em definitivo após boas atuações. De 2011 a 2014, participou de 214 jogos e conquistou dois títulos baianos (2012 e 2014). Após sucessivas falhas, deixou o Fazendão e foi emprestado à Ponte Preta onde se destacou no Brasileiro de 2015 sendo um dos goleiros com maior número de defesas difíceis na competição.

Seu desejo era permanecer em Campinas, mas o Esquadrão “ordenou” seu retorno. A segunda passagem, assim como a do último ano em que saiu, foi marcada por muitas falhas e ele acabou sendo negociado com o Internacional, clube qual defende desde 2016. Pelo Esquadrão, fez 251 partidas.

Deixe seu comentário