Guto Ferreira não é técnico e sim um mero incipiente projeto

É só o começo do Campeonato Brasileiro, e já estamos no final da tabela! Levei a pecha de pessimista, logo eu, que tenho muito do Binha. Só por que questionei o elenco, e sobretudo o técnico.
É cair na mesmice dizer: – Eu te disse!
E não me causa, nenhum bem, essa constatação: – Eu te disse!
É sim muita preocupação, Guto não é técnico e sim um mero incipiente projeto de técnico! O Inter, de maneira legal, mas muito longe de ser ética, o mandou para longe do sul, por que será? Só para distratar o contrato ou foi por mero destrato profissional? Saiu por distrato ou destrato? Pouco importa! Para mim o distrato contatual com o Bahia, já passou de acontecer…
Disse mais, na oportunidade, que:

– Do que adiantaria ter poupado o elenco principal, se mesmo assim, viesse à perder. Taí, infelizmente, aconteceu! Como gostaria que, o que eu disse, não passasse e passe de uma opinião precipitada e descrente, da realidade do Bahia!

Como gostaria de estar aqui nesse momento, ufanando, se derretendo em elogios ao elenco: “ninguém nos vence em vibração”, aonde vimos vibração desses rapazes, que ficaram numa boa durante sete dias, para em um dia, em duas horas, não dizer para veio a campo! Isso é agouro, é cepticismo, é falta de fé, descrença, pessimismo ou será o quê? Senão, a visão, a reflexão, o comentário de um incipiente diletante!
O elenco é sim superior ao anterior! O técnico que é o mesmo deficiente técnico, que só ganhou a Copa do Nordeste, que não é nenhuma copa da Uva, mas também não é nenhuma Champions League. Técnicos outros do mesmo nível ou melhores também já ganharam. Subiu o Time aos trancos e náuticos!



Eis aí, o técnico, que temos, eis o que temo, que continue até quando a torcida for ouvida, pelo clube que se diz democrático. Quantas partidas, fora da “Boa terra”, este rapaz ganhou à frente do Triclor de Aço, na série B?
Deixei ou ver no Google:

“O Bahia foi apenas a 13ª equipe com mais pontos longe de casa, com 16 somados – contra 31 do campeão Atlético-GO. Foram três triunfos, sete empates e nove derrotas fora de Salvador”. Veja só três triunfos, é muito pouco para a série B, e pior ainda para uma séria A, é ou não é?

Longe de mim, querer secar o time do meu coração, só que estou velho e meu coração não é mais o mesmo de 40 novembros atrás! Chega de sofrimento, quero mais é alegria, alegria de torcer e amar, uns dos amores da minha vida! Tô mais para Binha do que para, eu te disse… eu te disse…

Mas é só o começo do Campeonato, e estamos no final da tabela, que no fim estejamos em entre os primeiros dela.

E que nas demais competições, que possa fazer valer, verdadeiramente o nosso “slong”, o nosso bordão: “Ninguém nos vence em vibração”! Enquanto, não acontece, isso só Deus é quem sabe!

Lázaro Sampaio, torcedor do Bahia, parceiro e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário