Tite conversou com Joel Santana e Jorginho antes de convocar Talisca

Talisca já vinha sendo monitorado pelo técnico da Seleção

A convocação do meia Anderson Talisca não foi uma novidade. Era algo já esperado, inclusive, foi noticiado aqui no Futebol Bahiano sobre essa possibilidade (Veja aqui). Porém, a notícia ainda assim chamou a atenção da imprensa nacional e local. O ex-jogador do Bahia, hoje o destaque do Besiktas, da Turquia, vive um grande momento e é merecedor dessa oportunidade recebida e que precisa ser agarrada com unhas e dentes para convencer o treinador e representar nosso Estado na Copa do Mundo da Rússia.

Talisca já vinha sendo monitorado pelo técnico da Seleção Brasileira, Tite, que revelou em entrevista ter buscado referências importantes com alguns treinadores. Joel Santana, Paulo Angioni e o técnico Senol Günes, do clube turco, foram contactados pelo técnico do Brasil. Tite elogiou o baiano e o descreveu como armador. Destacou que o grupo precisa de um jogador de chegada que possa chegar de cabeça. Ainda assim, explicou que não há como garantir quem estará garantido ou fora da lista final de convocados para a Copa do Mundo da Rússia.

“Quero fazer uma referência ao Joel Santana, Paulo Angioni, Jorginho, que também deram referências importantes sobre o Talisca, especialmente do Bahia, que trabalharam com ele. As oportunidades surgem a cada atleta. Eu repito o que coerentemente tenho colocado, a lista final vai bater ali na frente. Todos os atletas continuam sendo avaliados, e grandes momentos como os de Willian José e Talisca, que trazem componentes diferentes. Willian José faz duas grandes temporadas na Real Sociedad, desenvolvimento grande como atleta, com jogo combinado.

[…]

Talisca tem finalização de média distância, bola aérea, imposição física que pode emprestar virtude contra defesas com linha de cinco ou quatro. Isso não quer dizer que Giuliano, Lucas Lima e Diego estão fora. Absolutamente. Não há uma situação definitiva, há margem de disputa. O objetivo é ter opções, jogadores de características diferentes, um pivô, mas tem mobilidade. Ele é alto, mas se movimenta e cabeceia muito. Tem números bons em campeonatos importantes. Assim como o Jô, ou algum outro no Brasil possa ter essa característica e te permita um acréscimo”, disse o técnico da Seleção.

 

Deixe seu comentário