Bahia negocia com Mendoza e Edson. Eduardo não fica. Allione difícil.

Bellintani revelou negociações em andamento e confirmou saída de Eduardo

O novo presidente do Bahia, eleito no sábado com mais de 80% dos votos, mas que somente assume no dia 21, Guilherme Bellintani, esclareceu ao torcedor a situação de alguns jogadores do atual elenco tricolor, principalmente os emprestados com vínculo até o final desse mês, casos do meia Mendoza e do volante Edson, ambos negociando para permanecer em Salvador, diferente do lateral-direito Eduardo, que não terá seu contrato renovado, foi o que garantiu Bellintani em entrevista ao CORREIO. Já no caso de Allione, a situação é mais complicada, visto que o técnico Roger Machado pediu ao Palmeiras o retorno do argentino.

Outros dois que ainda não negociam, porém, interessam ao Bahia, são Régis e Thiago Martins. O meia pertence ao Sport-PE, com quem tem contrato até o final de 2018, enquanto o jovem zagueiro pertence ao Palmeiras e não deve ser utilizado por lá em 2018, afinal, o Verdão contratou Emerson Santos, (Botafogo), renovou com Antonio Carlos e negocia com Pablo, ex-Corinthians. Ainda tem no elenco Yerri Mina, Luan e Juninho, além dos jovens Augusto e Vitão. Ou seja, o caminho para o tricolor será mais tranquilo para segurar o beque que terminou o ano como titular ao lado de Tiago.

Veja o que disse Bellintani:

“Vamos considerar os 11 que terminaram como titulares na reta final e incluir Régis, Juninho e Vinicius. São 11 mais três. Régis, Vinicius e Juninho que estavam habitualmente entrando e, talvez, Thiago Martins. Nós temos 15 atletas dessa base da reta final. Desses 15, oito tem contrato. Jean, Tiago e Lucas Fonseca, Capixaba, Juninho, Vinicius, Zé (Rafael) e Edigar. Dos outros sete, a gente já perdeu Renê. Se a gente cobrisse a proposta, seria o maior investimento da história do clube. Não só salário, pois ainda tinha luvas. Era inalcançável. Íamos colocar o ano a perder. Seria irresponsabilidade nossa. Tem outros seis. Um já avaliamos e informamos que não vai permanecer, o Eduardo. Entendemos que ele foi um profissional exemplar, mas o seu papel no clube estava cumprido e ele sai pela porta da frente. Os outros cinco vamos avaliar. Se conseguimos dois ou três dos cinco, concluímos que dos 15 que mais jogaram a gente mantém 10 ou 11. Como a gente complementa? Primeiro tem atletas que nos interessa permanecer, ascendendo da base. A restruturação se dá com contratação de jogadores mais tarimbados e também de jovens com nome não tão destacado, fruto desse trabalho do Dade. Edson já começamos a conversar, Mendoza também. Allione é mais difícil, apesar do atleta querer ficar. Mostramos interesse. Régis e Thiago Martins também temos interesse”

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*