Situação política do Vitória se mantém confusa e indefinida

Se Domingo o Esporte Clube Vitória travará uma batalha dentro de campo contra a Ponte Preta, valendo a sobrevivência na Série A, fora dele, a batalha já começou desde o primeiro dia após a eleição de Ivã de Almeida para o cargo de presidente, hoje apenas licenciado e em situação completamente indefinida. Na verdade, trata-se de uma autentica confusão que já vem se arrastando por sete meses, indicando que na hipótese indesejada de rebaixamento, o circo pode pegar fogo.

Enquanto isto, o presidente em exercício Agenor Gordilho, prega a união para evitar o rebaixamento. Em entrevista nesta semana ao site da Metrópole, o presidente em exercício disse ter se sentido abandonado. Alega que não brigou com ninguém, mas ainda assim, se sente só

Nesta quinta, de acordo as informações de Matheus Simoni do site da Metrópole, a oposição do clube se reúne para traçar as diretrizes da Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que será realizada no sábado (25) e vai analisar a denúncia de gestão temerária contra Ivã, acusado de extrapolar o orçamento do clube. Com o iminente impeachment, grupos já se movimentam para o período de campanha. Antigos inimigos projetam alianças e figuras conhecidas querem voltar ao cenário.

Vagner Mancini faz mudanças no Vitória para enfrentar a Ponte Preta

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*