Luto e jejum marcam 77º aniversário de fundação do Esporte Clube Bahia

O Bahia completou, nesta terça-feira, 1º, 77 anos de fundação ainda imerso em uma das mais graves crises de sua história. Nem mesmo o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, conquistado há pouco mais de um mês, foi suficiente para minimizar os revezes sofridos pelo clube na temporada 2007.

No último dia 19, morreu o jogador Cléberson Luciano Frolich, de 31 anos. Cléber, como era conhecido o jogador, lutou dois meses contra as conseqüências de um acidente vascular cerebral sofrido na concentração do clube, em Natal.

Foi a última de uma série de tragédias que marcou a temporada. No dia 25 de novembro, sete torcedores morreram ao despencar de uma altura de 15 metros depois que o piso de um degrau do anel superior da arquibancada da Fonte Nova cedeu.

O mais grave acidente da história do futebol nacional ocorreu em meio às comemorações de 60 mil tricolores pela acesso do time à Série B, ao final do empate sem gols com o Vila Nova-GO.

No dia seguinte à tragédia, o governador Jaques Wagner ordenou a interdição e chegou a anunciar a implosão do estádio, que dará lugar a uma moderna arena esportiva com o objetivo de tornar a capital baiana apta a sediar jogos da Copa do Mundo de 2014.

Com isso, o recordista de público de todos os campeonatos brasileiros de 2008, com média superior a 40 mil espectadores por jogo – será obrigado a mandar seus jogos pelo Campeonato Baiano de 2008 no estádio Armando de Oliveira, em Camaçari, distante 50km da capital baiana e com capacidade para apenas 7,5 mil torcedores.

A tragédia da Fonte Nova rendeu ainda ao Bahia uma punição de sete partidas com portões fechados durante a disputa do Brasileiro da Série B, a partir de maio. A diretoria tem a esperança de ao menos diminuir a pena enquanto trabalha nos bastidores para que o governo estadual apresse as obras de recuperação do estádio metropolitano de Pituaçu, em Salvador, com capacidade para 12 mil espectadores.

Para completar, o maior campeão do Baianão, com 43 títulos estaduais, completa em 2008 o maior jejum de sua história. O Bahia não é campeão desde 2002, quando conquistou o bicampeonato daq Copa do Nordeste.

A decadência do clube, mesmo no âmbito regional, pode ser expressada em um comparativo com o maior rival. Enquanto o Vitória conquistou 14 estaduais nos últimos 20 anos, o Bahia só venceu seis e o Colo-Colo, um. Vale lembrar que, por decisão da FBF, o título da edição de 1999 do estadual foi dividido com o Vitória depois que um clube foi disputar a final no Barradão e o outro na Fonte Nova.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*