EC Bahia: Vencemos de novo! Mas foi barril. por Erick Cerqueira

Fala, Nação Tricolor! Como vocês estão se sentindo com a cemporcentualidade do seu Bahia City? Aliás, vou até falar porquê chamo de Bahia City no final, já que fui questionado no outro texto. Mas vamos ao jogo.

Após assistir a uma boa preliminar entre Real Madrid 1×3 Barcelona, mudei o canal pra TVE pra ver o jogo principal. E é impressionante como um jogo lembro o outro. Por não ter nada a ver uma coisa com a outra; Campeonato Baiano é outro esporte.

Foi um jogo duro de assistir. A começar pela cor do campo. Pra quem é coroa (como eu), parecia que a Jacupa de amarelo estava camuflada no campo. A bola então, sumia. Tive de mudar até o contraste da TV. A Jacuipense começou melhor, foi duas vezes na frente. O Bahia respondeu com um chute de Jacaré, de canhota, lá na BAMOR. Os caras quase chegam numa cabeçada que assustou a zaga Tricolor.

Biel lança pra Rezende que cruza pra área e ninguém enxerga.

Mugni lança pra Everaldo, que de peito ajeita pra Daniel, que isola.

Jacaré de cabeça, recua pro goleiro. E logo depois, o mesmo Jacaré acerta o travessão numa ótima cobrança de falta.

Fim do Primeiro tempo morno

Na volta do intervalo, Jacaré deu lugar a Caio Vidal e o começo foi a mesma coisa. Dois lances dos caras e depois o Bahia domina. Exceto por um susto que tomou numa saída de bola errada, onde Rezende foi desarmado e o goleiro Tricolor salvou a besteira que começou. Mas logo depois saiu o gol.

Cruzamento de escanteio de Biel (esse menino é o cão) e cabeçada do Ricardo Goulart, o nosso após falha do goleiro dos caras. 1×0 já era goleada naquele momento. MAs o Bahia ainda perdeu mais duas chances claras. Numa cabeçada de fraca de Goulart e depois numa arrancada do meio de campo, do Caio Vidal, que supreendeu a todos., mas chutou em cima do goleiro. Como disse: quem não correu ano passado vai virar Usain Bolt em 2023.

No mais foi um jogo fraco e um resultado a se comemorar. Parecia jogo de estreia, mas o importante é somar 3 pontos.

BORA BAÊA CITY MINHA PORRA!

O gajo ainda está tentando conhecer algumas peças. Não deve tá entendendo nada sobre Jacaré, que parece ser ruim, é ruim, mas é bom e importante. A Jacupa marcou a saída de bola do nosso goleiro (os caras viram o outro jogo). Os laterais se comportaram bem. A zaga só deu uma braga. E a volância com Rezende e Mugni tava bem. Mas vai ter rinha de gringo, porque o Acevedo é bom jogador e guerreiro, também. Daniel segue sem substituto. Biel virou o craque do time e Goulart o artilheiro. Tá, eu sei, é um time em formação e talz. Mas a gente tem de cobrar um jogo melhor contra a Jacuipense no Valfredão.

Sobre o Bahia City

O broder Diogenes Rigaud largou esse comentário inteligente no último texto:
“O Palmeiras não era chamado de Palmeiras Parmalat.Hoje,não é chamado de Palmeiras Crefisa. O Botafogo não é denominado Botafogo Textor ou Botafogo saf. Então,o tricolor baiano é denominado Esporte Clube Bahia. O grupo City é apenas um investidor.”

E como, apesar de inteligente, eu discordo, vou explicar meu ponto de vista. O City Football Group é um grupo gigante, e ter essa marca atrelada ao nome do Bahia, mesmo que de forma informal, é como aglomerar prestígios ao Clube. Muito além de ser um mero investidor, o Grupo atua na parte de gestão esportiva completa dos clubes que administra. Além disso, é uma forma de “ativar” a marca do investidor, no Brasil, quando usamos o “sobrenome” City. Então, companheiros, irei usar o City nos meus textos. Axé!

Autor(a)

Erick Cerqueira

Resenheiro extra-oficial do Único TIME BI CAMPEÃO BRASILEIRO entre Minas Gerais e o pólo Norte. Publicitário da ESC3D, Marketeiro da URSAL, parcial, pai de Thor e apaixonado pelo meu Bahia! Contato: escdesigner@gmail.com

Deixe seu comentário