Ano de 2021 é de recuperação esportiva e financeira para o Bahia

Este ano o Bahia terá uma série de competições a disputar

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O ano de 2020 não foi nada fácil para o Bahia. A campanha no Brasileirão, encerrado em 2021, meteu medo na torcida pela possibilidade de rebaixamento. No fim o time escapou e alcançou a 14ª colocação com 44 pontos. O técnico Dado Cavalcanti assumiu a equipe em uma situação bastante complicada no Brasileirão de 2020, mas fez uma série de alterações para salvar a equipe do rebaixamento. O trabalho foi considerado pelos dirigentes como bem-feito, após a decepção com Mano Menezes, e assim continua em 2021, prestigiado pela diretoria.

Este ano o Bahia terá uma série de competições a disputar, começando pela Copa do Nordeste. O técnico Dado Cavalcanti ainda não conseguiu equilibrar o seu time, apesar da classificação para as quartas de final. O Bahia também conseguiu sua classificação para a terceira fase da Copa do Brasil goleando o Manaus por 4 a 1. Para os mais confiantes, as odds da bet365 Copa do Brasil até podem favorecer o Bahia nestas fases iniciais, com equipes mais fracas, mas mais para a frente o time deve ser azarão, aumentando a possibilidade de retornos.

Os reforços estão começando a chegar, sendo que as últimas novidades foram os meio-campistas Lucas Araújo, ex-Grêmio, e Óscar Ruiz de 29 anos, negociado junto à equipe do Cerro Porteño do Paraguai. Outros recém-chegados são os zagueiros Luiz Otávio, indo da Chape, e German Contí, argentino de 26 anos que veio do Benfica (Portugal) por empréstimo, o goleiro Júnior, emprestado pelo São Paulo F.C. e os volantes Matheus Galdezani vindo do Coritiba, Jonas da Arábia Saudita e Pablo, do Vila Nova de Goiás.

O mês de abril será de suma importância para a equipe tricolor que segundo o técnico Dado apesar de não estar pronta, vem melhorando a cada partida. O Bahia terá jogos importantes além da Copa do Nordeste, terá a estreia na Copa Sul-Americana, sendo que esta será sua quarta participação nessa competição Internacional.

O interesse pela Sul-Americana

A diretoria do Tricolor quer ter sucesso na competição não só pela sua importância, mas também pela excelente premiação oferecida pela Conmebol. O Esporte Clube Bahia estreia no torneio no dia 21 de abril, contra Montevideo City Torque ou Fénix, do Uruguai. Independiente da Argentina e Guabirá da Bolívia são os outros dois integrantes do Grupo do Bahia.

Como dissemos, este ano será a quarta vez consecutiva que a equipe baiana participa da Copa Sul-Americana. Nos anos de 2018 e 2020, o Bahia não conseguiu passar das quartas de final. No ano de 2019 a situação foi ainda pior, caindo logo na primeira fase, quando perdeu para a equipe uruguaia do Liverpool.

Este ano a Copa Sul-Americana sofreu uma mudança no formato anteriormente utilizado quando a disputa era no formato mata-mata. Ela agora terá três fases. Na primeira etapa os clubes de um mesmo país jogam entre si, com exceção das equipes argentinas e brasileiras, e daí saem 16 times classificados. Após esta fase, os quatro times que saíram da terceira fase da Libertadores e os seis representantes da Argentina e seis do Brasil entram para a fase de grupos.

Serão dessa forma 32 times participantes que serão divididos em oito chaves de quatro equipes cada. Nessa fase serão jogos de ida e volta que deverão ocorrer de 21 de abril a 26 de maio. Apenas o primeiro colocado de cada um dos grupos vai para o mata-mata. Eles vão enfrentar os terceiros colocados das chaves da Libertadores nas oitavas de final. A final será em jogo único no dia 6 de novembro, mas ainda falta definir o local.

A premiação da Copa Sul-Americana de 2021 sofrerá um grande reajuste em relação à premiação. A Conmebol anunciou que o valor total a ser distribuído entre os clubes somará US$ 59 milhões, ou R$ 340 milhões na cotação atual, o que significa um aumento de US$ 11,8 milhões (R$ 68 milhões) em relação à última edição.

O Bahia com sua participação na competição já poderá contar com US$ 900 mil, ou seja, R$ 5 milhões na cotação atual do dólar, pois cada um dos clubes classificados para a fase de grupos ganha US$ 300 mil por cada jogo como mandante. Se ocorrer uma eliminação, caso fique em segundo da chave, terá direito a uma bonificação de US$ 120 mil (R$ 690 mil). Entretanto, se o tricolor baiano chegar à final e se tornar o campeão da Copa Sul-Americana entrariam em seus cofres nada menos do que US$ 6,8 milhões, ou seja, na cotação atual, R$ 39 milhões de reais.

Sem dúvida alguma uma soma bastante importante para o tricolor baiano que já vem neste ano de 2021 fazendo uma reformulação profunda em sua equipe e na área financeira. Uma conquista representará um alívio nos cofres para pensar em voos mais altos e uma subida de escalão no futebol nacional, o objetivo do Tricolor nos últimos anos.

Comentários: