PVC coloca dois jogos do Bahia entre os 20 melhores da história do Brasileiro

Bahia 2 x 1 Fluminense, pela semifinal de 88, aparece na lista

Nesta sexta-feira, em publicação no seu Blog, no site Globoesporte, o jornalista Paulo Vinicius Coelho, também conhecido como PVC, elegeu os 20 maiores jogos da história do Campeonato Brasileiro da Série A. Na lista, aparecem dois jogos do Esporte Clube Bahia. Um deles o triunfo por 2 a 1 sobre o Fluminense pela semifinal do Brasileiro de 1988, com mais de 110 mil torcedores na Fonte Nova e gols de Bobô e Gil. O outro, também histórico, o triunfo por 3 a 1 sobre o Santos de Pelé na final da Taça Brasil de 1959. Coutinho fez 1 a 0 para os santistas. Vicente, Léo e Alencar viraram.

 

“Antes ou depois da unificação dos títulos, o Campeonato Brasileiro marca a história do futebol nacional. São jogos memoráveis, decisões ainda lembradas mesmo com o passar dos anos e, principalmente, o surgimento de lendas dos gramados. Abaixo, você confere a lista dos 20 maiores jogos do torneio. É só a minha opinião. Você tem todo o direito de discordar”, destacou PVC. 

1 – Flamengo 3 x 2 Atlético-MG (final de 1980)

A decisão que deu ao Flamengo seu primeiro Brasileiro teve drama e craques. Zico fez um gol, Reinaldo marcou com o joelho machucado, e Nunes decidiu ao balançar as redes duas vezes. Foi o segundo maior público da história do campeonato.

2 – Guarani 3 (3) x (4) 3 São Paulo (final de 1986)

Era Evair de um lado e Careca do outro, disputando a artilharia. O são-paulino foi o goleador com gol no último instante da prorrogação. Depois, campeão nos pênaltis. O São Paulo dos Menudos foi um time incrível.

3 – Palmeiras 2 x 3 Internacional (semifinal de 1979)

Foi a maior atuação de Paulo Roberto Falcão como jogador. Desafiado pelos jornais paulistas, que perguntavam se Mococa era melhor, Falcão fez dois gols e deu um espetáculo. Levou o Inter à final e ao título invicto.

4 – Atlético-MG 2 x 3 Flamengo (semifinal de 1987)

O Atlético-MG chegou invicto à semifinal e perdeu no Maracanã por 1 a 0, gol de Bebeto. Dirigido por Telê Santana, enfrentava Renato Gaúcho, desafeto do técnico. Renato destruiu, fez o gol da vitória, e o Flamengo foi à final da Copa União.

5 – Corinthians 2 x 3 Santos (final de 2002)

O Santos fez 1 a 0 em pênalti cobrado por Robinho e sofrido por ele mesmo depois de oito pedaladas contra Rogério. O Corinthians virou para 2 a 1, e o Santos mudou para 3 a 2 a partir dos 42 minutos do segundo tempo. Os Meninos da Vila ganharam o Brasil.

6 – Internacional 1 x 0 Cruzeiro (final 1975)

O gol iluminado de Figueroa, marcado de cabeça, na única fresta de sol na grande área, no Beira-Rio. Depois, o duelo entre os chutes incríveis de Nelinho e as defesas impossíveis de Manga.

7 – Fluminense 1 x 1 Corinthians (semifinal de 1976)

A invasão corintiana foi marcante, com metade do Maracanã tingida de preto e branco, contra a Máquina Tricolor, de Rivelino. Pintinho marcou para o Fluminense, e Ruço para o Corinthians. A decisão dos pênaltis levou o time paulista à final contra o Internacional.

8 – Flamengo 3 x 0 Santos (final de 1983)

No maior público da história do Brasileirão, 155 mil pagantes viram Zico marcar aos 40 segundos. O Santos podia perder por 1 a 0 e haveria prorrogação. Leandro marcou aos 44 do primeiro tempo, e Adílio fechou os 3 a 0 no último minuto. Atuação de gala de Adílio.

9 – Botafogo 0 x 5 Santos (final de 1963)

A única decisão com Garrincha de um lado e Pelé do outro. Era Taça Brasil, mas entra na lista pelo Brasileirão unificado. Dorval, Pelé e Coutinho marcaram antes de Pelé fechar o show, com dois gols.

10 – Santos 4 x 5 Flamengo (2011)

O Santos abriu 3 a 0, e o Flamengo foi buscar. Foram dois gols de Neymar, um deles de placa, passando por todo o time rubro-negro. Três de Ronaldinho Gaúcho, estrela da noite, responsável pela virada.

11 – Cruzeiro 6 x 2 Santos (final de 1966)

Outra final de Taça Brasil que vira Brasileirão unificado. Zé Carlos marcou contra no primeiro minuto. Depois, Natal e Dirceu Lopes, três vezes. Tostão fechou o espetáculo azul. O Cruzeiro seria campeão no Pacaembu, uma semana depois.

12 – Grêmio 2 x 1 São Paulo (final de 1981)

O jogo de ida da decisão teve pênalti para o Grêmio. Baltazar perdeu, intimidado pela catimba de Valdir Peres. Então, Paulo Isidoro jogou tudo na maior atuação de sua vida. O Grêmio venceu por 2 a 1 e foi campeão no domingo seguinte, no Morumbi.

13 – Corinthians 3 x 2 São Paulo (semifinal de 1999)

O Corinthians fez 1 a 0 com Nenê, o São Paulo empatou com Raí. O Corinthians fez 2 a 1 com Ricardinho, o Tricolor igualou com Edmílson. Marcelinho fez 3 a 2. Mas o ponto alto foi o duelo Raí x Dida, que defendeu dois pênaltis do Terror do Morumbi.

14 – Cruzeiro 2 x 3 Atlético-MG (quartas de final de 1999)

O Cruzeiro foi o segundo na classificação geral, e o Atlético-MG terminou em sétimo. O Cruzeiro era favorito, fez 1 a 0 e 2 a 1. Mas o artilheiro Guilherme virou para 3 a 2. O Galo surpreendente foi à final do Brasileirão.

15 – Vasco 4 x 1 Flamengo (semifinal de 1997)

A semifinal tinha dois quadrangulares e este grupo também contava com Juventude e Portuguesa. Edmundo destruiu, fez gols e comemorações de todos os estilos. Os 4 a 1 levaram o Vasco à final e depois ao troféu.

16 – Corinthians 0 x 2 Fluminense (semifinal de 1984)

Carlos Alberto Parreira sempre disse que esta foi a melhor atuação daquele Fluminense do Casal 20 Washington e Assis, e de Romerito. Um show à base da troca de passes dentro do Morumbi, com gol de cabeça de Assis e de contra-ataque, de Tato.

17 – Bahia 2 x 1 Fluminense (semifinal de 1988)

O maior público da história da Fonte Nova, com 110 mil pessoas que assistiram a Washington marcar 1 a 0 para o Fluminense. Bobô e Gil viraram para o Bahia e começaram o Carnaval em Salvador, em fevereiro de 1989.

18 – Corinthians 4 x 1 Flamengo (quartas de final de 1984)

O Corinthians perdeu no Maracanã por 2 a 0 e precisava vencer por dois gols de diferença para se classificar. Fez 4 a 1 com show de Sócrates, Casagrande, Zenon e Wladimir. O placar eletrônico do Morumbi brincava com os rubro-negros mostrando os horários dos próximos voos para o Rio de Janeiro.

19 – Palmeiras 3 x 1 Corinthians (final de 1994)

Um show de Rivaldo no primeiro jogo das finais de 1994, contra o Corinthians. O camisa 11 do Palmeiras marcou aos 44 minutos do primeiro tempo e fez 2 a 0 aos 18 do segundo. Depois, participou do terceiro, marcado por Edmundo. Mesmo com Marques descontando, o 3 a 1 praticamente garantiu o bicampeonato brasileiro para o time de Vanderlei Luxemburgo.

20 – Bahia 3 x 1 Santos (final de 1959)

O Bahia ganhou na Vila Belmiro por 3 a 1, com Pelé e tudo. Depois, perdeu na Fonte Nova, o que forçou o terceiro jogo no Maracanã. Coutinho fez 1 a 0 para os santistas. Vicente, Léo e Alencar viraram. Pelé não estava em campo, na primeira final de Taça Brasil.

Deixe seu comentário

1 Trackback / Pingback

  1. Jogando o suficiente, Vitória vence o Sampaio Corrêa na estréia na Série B 2020

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*