Bahia diminui distância para o ABC, maior campeão estadual do Brasil

Bahia conquistou o tricampeonato baiano, algo que não acontecia desde 88

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Neste sábado (08), na base da tensão, do nervosismo e do sofrimento, o Esporte Clube Bahia venceu o Atlético de Alagoinhas nos pênaltis e conquistou mais um título baiano, o 49º de sua história. Além disso, voltou a conquistar um tricampeonato, algo que não acontecia desde o ano de 1988, quando a equipe comandada pelo mestre Evaristo de Macedo conquistou o tricampeonato após terminar o quadrangular final com 12 pontos, seguido por Vitória (10), Fluminense (5) e Catuense (1). No Ba-Vi decisivo, que terminou com confusão dentro de campo, o Tricolor Baiano venceu por 3 a 0, com gols de Pereira, Renato e Osmar, e sacramentou o tricampeonato. Em 86 e 87, o Tricolor derrotou na final a Catuense.

 

Com o 49º título baiano, o Esporte Clube Bahia se mantém isolado como o segundo maior campeão estadual do futebol brasileiro, atrás apenas o ABC, que foi tricampeão (2016, 2017 e 2018), mas na edição 2019 perdeu o título para o América-RN. O Campeonato Potiguar de 2020 segue acontecendo e o ABC vai em busca do seu 56º título. Abaixo do Bahia, aparece o Paysandu que já foi campeão estadual 47 vezes e está na semifinal do Campeonato Paraense 2020, ou seja, pode chegar aos 48 títulos, mas terá que desbancar o bicampeão Remo em uma possível final. O rival tem 46 títulos e ganhou em 2018 e 2019. Entre os 11 maiores campeões estaduais, também aparecem os rivais Fortaleza e Ceará, que decidem o título em 2020. Atual campeão, o Leão do Pici tem 42 taças, enquanto o Vozão soma 45.

Os maiores campeões estaduais do Brasil:

1º) ABC-RN – 55 títulos (2018)
2º) Bahia – 49 títulos (2020)
3º) Paysandu-PA – 47 títulos (2017)
4º) Rio Branco-AC – 46 títulos (2018)
4º) Remo-PA – 46 títulos (2019)
6º) Internacional – 45 títulos (2016)
6º) Ceará – 45 títulos (2018)
8º) Atlético-MG – 44 títulos (2017)
9º) Nacional-AM – 43 títulos (2015)
10º) Fortaleza – 42 títulos (2019)
10º) Sport-PE – 42 títulos (2019)

Apesar do técnico Roger Machado ter comandado o time na final, boa parte da campanha foi feita por Dado Cavalcanti. Utilizando um time chamado “equipe de transição” formado por atletas sub-23 antes da paralisação do futebol e no retorno atuando com um time alternativo (reservas da equipe principal), o Esporte Clube Bahia terminou a primeira fase do Campeonato Baiano na liderança, com 18 pontos. Foram 5 triunfos, 3 empates e apenas 1 derrota. Marcou 12 gols e sofreu 5. Na semifinal, o Esquadrão eliminou o Jacuipense, vencendo por 2 a 0 no Estádio Eliel Martins, e na volta empatando por 2 a 2 no Estádio de Pituaçu. No primeiro jogo da final, empatou sem gols com o Atlético de Alagoinhas que jogou com 10 homens desde os 35 do primeiro tempo. Neste domingo, o Carcará saiu na frente com Magno Alves, mas Daniel igualou para o Bahia. Nos pênaltis, Douglas pegou a cobrança de Dedeco e garantiu o 7 a 6. Mangata chutou para fora. Pelo lado tricolor, só Marco Antônio perdeu.

Deixe seu comentário

1 Trackback / Pingback

  1. Técnico do Coritiba descarta escalação de Neilton contra o Bahia

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*