Com Rodriguinho como referência, Marco Antônio recupera bom futebol no Bahia

"ele tem dentro do clube um referencial dessa função"

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação

Após passar um bom tempo se recuperando das sucessivas lesões, o meia Marco Antônio vai recuperando o seu espaço no Esporte Clube Bahia e dando a volta por cima. Antes da paralisação, ele não tinha atuado um jogo sequer, mas no retorno do futebol, entrou em campo quatro vezes, duas saindo do banco de reservas, contra Náutico e Botafogo-PB, e dois jogos como titular, contra Atlético-BA e no último domingo diante do Fluminense de Feira, sendo o principal destaque da partida marcando os dois gols do triunfo por 2 a 0. A boa atuação e os gols do jogador podem ser colocados também na conta do técnico Roger Machado, que orientou o meia-atacante a aparecer mais na área e utilizar Rodriguinho como referência. Camisa 10 do time principal, o meia de 32 anos tem como uma das suas virtudes a infiltração e presença de área.

 

“Na palestra disse a ele [Marco Antônio] que ele tem dentro do clube um referencial dessa função, que é o Rodriguinho. Para que ele aprendesse a pisar mais na área como o Rodriguinho faz para que seja também esse finalizador de entrada de área como ele fez um dos gols. Ele tem essa capacidade de finalização como poucos. Como segundo atacante, meia atacante, ele pode render muito também”, disse Roger após o jogo contra o Fluminense de Feira.

Nos dois gols marcados no último domingo, Marco Antônio seguiu as orientações de Roger Machado e esteve presente na área do Flu de Feira. No primeiro, se projetou às costas do marcador e usou o espaço vazio para invadir a área e chutar na saída do gol. No segundo gol, recebeu na entrada da área para bater de primeira e marcar. O jogador pode ser útil em meio a essa maratona de decisões. Na quarta-feira, o Bahia tem semifinal da Copa do Nordeste contra o Confiança. Na quinta, enfrenta o Jacuipense, no Eliel Martins, pelo jogo de ida da semifinal do Campeonato Baiano.

Deixe seu comentário