Hospital de campanha Fonte Nova homenageia Sapatão e outros ex-atletas

UTI's serão batizadas com nomes de jogadores que fizeram história no futebol baiano

Com um investimento de R$ 2,3 milhões nas adequações estruturais para que fosse possível ampliar a rede assistencial dedicada aos pacientes com diagnóstico de Covid-19, o Hospital de campanha Arena Fonte Nova recebeu os primeiros pacientes com diagnóstico de coronavírus nesta sexta-feira (05) e conta com 800 profissionais atuarão na unidade. As quatro alas de Terapia Intensiva, que totalizam 100 leitos de UTI, serão batizadas com nomes de jogadores que fizeram história no futebol baiano. A primeira delas se chamará Élcio Nogueira da Silva (Sapatão), que jogou no Bahia na década de 70, e faleceu hoje (5).

 

De acordo com o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, “o hospital de campanha Arena Fonte Nova contará com 240 leitos, sendo 140 clínicos e 100 de UTI”. “Outros três nomes serão escolhidos para batizar as alas de terapia intensiva que serão abertas progressivamente, mediante o aumento da demanda”, afirma o secretário.

O zagueiro Sapatão marcou seu nome na história do Esporte Clube Bahia na década de 70. Ele fez parte do elenco tricolor que conquistou o heptacampeonato baiano, em 1979. A campanha do heptacampeonato (de 1973 a 1979) teve 228 partidas, com 142 triunfos, 75 empates e apenas 11 derrotas. Sim, em sete temporadas o Bahia perdeu somente 11 jogos. Foram 419 gols marcados e 102 sofridos. Além do Esquadrão de Aço, jogou também no Santa Cruz.

Após pendurar as chuteiras, ele se tornou técnico e também fez história na função ao dirigir equipes do interior. Ele foi campeão baiano da Série B comandando o Ypiranga em 1990, o São Francisco do Conde em 1996, o Camaçari em 1997 e o Camaçariense 2003. À frente do Juazeiro, foi vice-campeão estadual em 2001. Sapatão se aposentou como treinador em 2012. Seu último clube foi o Camaçari.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*