Há quase 1 ano sem atuar, volante do Bahia admite ansiedade para voltar

Elton não atua desde julho de 2019 na derrota para o Grêmio pela Copa do Brasil

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Longe dos gramados há quase um ano por conta de uma lesão de desgaste na cartilagem do joelho, o volante Elton já está recuperado e só aguarda a autorização das autoridades para retornar aos treinamentos no CT Evaristo de Macedo. A última vez que entrou em campo foi no dia 17 de julho de 2019, na derrota do Bahia por 1 x 0 para o Grêmio, na Arena Fonte Nova, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, revés que custou a eliminação no torneio. O jogador estava na fase final da recuperação quando os torneios foram paralisados. Em entrevista ao CORREIO, Elton admite que estava ansioso para voltar a jogar e, apesar de lamentar a paralisação por conta da pandemia do coronavírus, aproveita o bom maior para focar mais nas atividades.

 

“Estava ansioso para voltar a jogar. Esse vírus afetou todo mundo, é lamentável, muitas pessoas faleceram, mas para mim foi um tempo maior para focar mais, treinar mais. Hoje, quando o futebol voltar, vou estar apto e 100% para ajudar o Bahia, à disposição para o professor Roger. Olhando por esse lado, profissionalmente para mim a pausa foi boa”, conta Elton.

Quando se lesionou, Elton era titular do time tricolor. Agora ele retorna vendo a dupla Gregore Flávio em boa fase. Ele falou sobre a disputa pela titularidade e a forte concorrência no setor.

“O clube que quer conquistar algo, títulos importantes, tem que ter peças de qualidade em todos os setores. Nessa posição de volante, o Bahia está bem servido e isso é bom para o time. Quem vai ter dor de cabeça é o Roger, quando a gente voltar aos treinos todo mundo vai estar com sangue nos olhos para pegar a vaga, quem estava jogando de titular tem que manter a pegada para quem estava fora não tomar a posição. Vai ser uma briga boa, respeitando todo mundo. Nesses anos que estou no Bahia sempre foi respeitando quem está jogando e quem está fora, e agora não vai ser diferente. Vou buscar a minha posição com todo o meu esforço, assim como sempre foi”, dá o recado.

Elton destacou a importância da manutenção da base do time para manter o entrosamento. “É importante manter a base do time, manter o treinador ao longo dos anos, isso faz com que o time vá se encaixando cada vez mais e fique mais perto de conquistas. Esse ano o Bahia fez um elenco qualificado, todos os setores têm boas peças. O Roger vai ter dor de cabeça para escalar a equipe, mas quanto mais dor de cabeça ele tiver, vai ser melhor para o clube. Estamos no caminho de logo logo conquistar um título importante”, aponta Elton.

Deixe seu comentário!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*