Bellintani se posiciona contra a presença de público nos estádios

Carioca poderá ter torcida nos estádios a partir do dia 10 de julho

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia / Divulgação

Nesta segunda-feira (29), em entrevista à CNN Brasil, o presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, se posicionou contra a presença de público nos estádios neste momento. O mandatário argumentou que em nenhum lugar do mundo liberou presença da torcida. No Brasil, a prefeitura do Rio de Janeiro publicou uma medida para a volta dos torcedores a partir do dia 10 de julho com 1/3 da ocupação do estádio, sendo assim, a final do Campeonato Carioca poderia ser realizada já com torcida.

 

“Entendo que não é o momento de retornar ao futebol com público. Nenhum lugar do mundo voltou e o meu posicionamento, pelo cenário da Bahia que vejo, o mais coerente é haver a volta dos jogos e somente após o estudo dos jogos sem público, eventualmente, no momento, com autorização das autoridades que entendem. No primeiro momento acho um pouco temeroso, já que nenhum outro lugar do mundo voltou”, indicou.

Enquanto o Carioca a bola já rolou desde o dia 18 de junho, o Campeonato Baiano deve reiniciar um mês depois. A FBF projeta a retomada para a segunda quinzena de julho, mas ainda aguarda o aval do Governo da Bahia. Bellintani projeta a volta do estadual no próximo mês, mas deixa a decisão para as autoridades.

“A gente já voltou aos treinos e entramos na terceira semana de testagem de atletas. No segundo ciclo não tivemos nenhum novo contaminado, hoje fizemos o terceiro e esperamos não ter nenhuma contaminação. Em relação aos jogos, temos a expectativa de que governador e prefeito liberem os jogos em julho e, após essa liberação, com muita cautela, sem pressa e se tivermos condições, estamos preparados para voltar. Naturalmente isso cabe às autoridades sanitárias”, declarou.

 

 

Deixe seu comentário

1 Trackback / Pingback

  1. Estaduais podem servir como uma boa experiência para o Brasileirão

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*