Athletico foi o único clube a vetar a mudança do campo no retorno do Brasileiro em agosto

Antes disso o Athletico já havia vetou uma mudança na distribuição da premiação do Brasileirão 2020

Foto: Albari Rosa.

Ontem à noite, através de nota no seu site oficial, a CBF comunicou o desejo de começar os Campeonato da Série A e B em 9 e 8 de agosto respectivamente. No nosso caso, o Bahia enfrentando o Botafogo no Rio de Janeiro, enquanto o Esporte Clube Vitória enfrentando o Sampaio Corrêa no Estádio Manoel Barradas Carneiro. No entanto, vale ressaltar que apesar do consenso, o retorno ainda depende das autoridades de saúde de cada estado. A novidade da reunião foi que dezenove dos vinte clubes da Série A se dispuseram a jogar fora das suas cidades, em última instância, caso até lá seus municípios não estejam liberados pelas autoridades de saúde a realizar jogos.

 

Na nota, não informado qual o clube que não aceitou a proposta, Hoje, o clube discordante foi conhecido. Trata-se do Atlético Paranaense, O clube só aceita o retorno mantido seu mando de campo. As informações são do João Paulo Cappellanes, da Rádio Bandeirantes.

Antes disso, o Athletico vetou também a mudança na distribuição da premiação do Brasileirão 2020, que incluiria os times rebaixados na temporada no rateio do dinheiro – a receita representa 30% do bolo total do campeonato. A proposta inicial de alteração partiu da Globo, após conversas com alguns clubes. O dinheiro da premiação é pago integralmente pela emissora e faz parte do contrato de transmissão do campeonato.

No entanto, o acordo de algumas equipes, entre elas o Furacão, estabelece que qualquer mudança no modelo precisa de anuência. Isso não aconteceu até agora por parte do rubro-negro paranaense. Na nova distribuição, o campeão ficaria com R$ 31 milhões, enquanto o último receberia R$ 4,1 milhões. No ano passado, a divisão aconteceu apenas entre as 16 equipes que permaneceram na elite. O Flamengo, primeiro colocado, levou R$ 33 milhões. Já o Ceará, que ficou no limite da queda, ganhou com R$ 11 milhões. Cruzeiro, CSA, Chapecoense e Avaí não receberam nada.

Deixe seu comentário