Flu de Feira analisa contratação do goleiro Bruno, confirma presidente

Deputado Pastor Tom confirmou o interesse no arqueiro

Foto: Marcelo Rodrigues/EPTV

Após passagem por Boa Esporte e recentemente pelo Poços de Caldas FC, com apenas 45 minutos em campo antes da rescisão do contrato, o goleiro Bruno segue a procura de um clube para a temporada 2020 e o destino pode ser o futebol baiano. Em entrevista, o presidente do Fluminense de Feira, Deputado Pastor Tom, confirmou o interesse em contratar o arqueiro de 35 anos. De acordo com o dirigente do Touro do Sertão, as negociações já acontecem há algum tempo, mas falta o acerto de detalhes para a vinda de Bruno. Ele afirmou que o pagamento do atleta será financiado por empresários locais. Questionado sobre o crime cometido pelo atleta, o mandatário destacou que não está aqui para julgar e que o jogador já pagou.

 

“Estamos analisando, é um grande goleiro. Todo mundo sabe que ele teve um problema judicial, mas nós precisamos reintegrar essas pessoas que se envolveram com algo negativo, não podemos discriminar, não estamos aqui para julgar ninguém. Não vai trazer uma despesa elevada para o clube. O clube junto com os amigos, patrocinadores, pessoas que é fã do Bruno estão se mobilizando para a gente fazer o pagamento”, disse o também parlamentar, em entrevista ao site Diplomatas News, de Feira de Santana.

Bruno, de 35 anos, foi preso em setembro de 2010 e condenado em março de 2013 pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. O jogador também havia sido condenado por ocultação de cadáver, mas a pena foi extinta após a Justiça entender que o crime prescreveu sem ser julgado em segunda instância. As penas válidas somadas são de 20 anos e 9 meses. O atleta conseguiu progressão para o regime semiaberto e foi solto no dia 19 de julho de 2019. Bruno vive em Varginha, distante 320 km de Belo Horizonte. Porém, para atuar, é necessário autorização da justiça em função do regime semiaberto. Após deixar a detenção, ele já passou pelo clube Boa Esporte, no qual atuou em cinco partidas em 2017, e no Poços de Caldas, no ano passado, onde teve seu contrato rescindido depois de 45 minutos em campo por ordem judicial.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*