Torcedor não tem muito o que reclamar da campanha do Bahia na Série A

Esquadrão fez uma competição segura, sem pensar em rebaixamento

Foto – Felipe Oliveira/EC Bahia

O Esporte Clube Bahia encerra hoje à noite contra o Vasco da Gama sua participação no Campeonato Brasileiro da Série A quando atuando diante do seu torcedor na Arena Fonte Nova. Depois disso, em um duelo que irá definir o melhor no Nordeste na atual edição da competição, encara o Fortaleza na Arena Castelão quando encerra a temporada 2019 e se inicia a Copa São Paulo de Futebol Júnior, no dia 3 de janeiro. A volta a campo será apenas no dia 15 de janeiro, pelo Campeonato Baiano.

 

Sem chances na Copa Libertadores, porém, garantido na Copa da Sul-Americana e sem qualquer risco de rebaixamento, a meta tricolor de aço nestes dois jogos é encontrar um melhor posicionamento na tabela de pontuação que significa uma premiação expressiva e a reboque acabar o ano este ANO melhor do que aquele que passou.

Obtendo êxitos dos dois jogos, o Bahia encerra a competição na 9ª posição que representa no bolso a bagatela de R$ 19,8 milhões, além disso, assim como projetou a direção no inicio do ano em prudência clássica, finda a competição com melhor posição e pontuação em relação a edição de 2018 quando terminou em 11ª lugar somando 48 pontos, que aliás, já era melhor que em 2017 quando acabou em 12ª lugar. São avanços curtos, porém continuados.

A temporada do Brasileiro poderia ser considerada de maior aceitação se não houvesse o declínio mal assombrado no segundo turno que matou uma expectativa não programada ou imaginada. Fora isto, apreendemos até pelo histórico que entramos na competição como um intruso e que nosso maior mérito seria briga com dignidade para não cair. No entanto nos últimos três anos estivemos longe do sofrimento, das agonias, das calculadoras, ninguém botou a mão na cabeça ou chamou por mamãe. É pouco, sabemos, mas é avanço sim, isto significa consolidação, isto representa que querida bandeira tricolor está sendo fixada entre os grandes e brigando dentro das nossas limitadas condições e se perdemos jogos, se desperdiçamos oportunidades para acessar o G6, em nenhum momento perdemos a dignidade e isto também é avanço notadamente para os tricolores com maior idade que acompanhou os rebaixamentos, as humilhações e as goleadas.

Repito, creio que o Bahia só poderá brigar de FATO por posições acima da tabela após uma sequência longa disputando a Série A, mantendo a mesma linha de gestão, acumulando recursos, aumentando o prestígio, se capitalizando, se estabelecendo de forma natural, se capacitando como um clube quase nativo na competição e ai sim, em um tempo breve que não podemos ainda precisar pode brigar entre os 4 de lá de cima de forma segura e não por mera obra ou fruto do acaso ou conduzindo por circunstâncias que não se sustenta no seguinte.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*