“Tem clubes na Série A que não têm a grandeza do Vitória”, diz lateral

“Um clube da grandeza do Vitória não pode estar nessa situação"

O Esporte Clube Vitória deu um passo importantíssimo para carimbar a permanência na Série B após o triunfo heroico e fundamental sobre a Ponte Preta no domingo, jogando com 10 homens, suportando a pressão e vencendo por 2 a 1 com gol de Jordy Caicedo nos acréscimos, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP). O Leão chegou aos 36 pontos e aproveitando os tropeços dos concorrentes direto, assumiu o 15º lugar e abriu quatro pontos da zona de rebaixamento. Um dos responsáveis pela recuperação do time é o lateral-esquerdo Thiago Carleto. Em entrevista, o jogador destacou que um clube com a grandeza do Vitória não pode estar na situação atual e disparou que tem clubes atualmente disputando a Série A que não têm a grandeza do Leão.

 

“Um clube da grandeza do Vitória não pode estar nessa situação, é a minha opinião. Tem clubes hoje na Série A do Brasileiro que não têm a grandeza do Vitória”, disse o jogador.

Agora o Rubro-Negro tem dois jogos seguidos pela frente no Estádio Manoel Barradas, sendo que já no sábado (02) em jogo marcado para às 16h30, enfrenta um adversário direto e que aparece quatro pontos abaixo abrindo o Z-4, ou seja, se vencer o Figueirense, o time do técnico Geninho aumenta para sete pontos a distância para a ZONA e praticamente encaminha a manutenção. Depois encara o Brasil de Pelotas, terça-feira (5), às 20h30.

“O ambiente só vai estar leve e feliz quando a gente atingir a nossa meta, que todo mundo sabe qual é.  Atingir logo esses 45 pontos, 46, e livrar esse clube grandioso dessa situação incômoda. Acompanhei a entrevista de Geninho após o jogo em Campinas e ele foi muito feliz: a gente foi atrás de buscar o prejuízo que nós mesmos nos colocamos depois do jogo contra o Londrina. A gente tinha a perspectiva muito grande de ganhar aquela partida (contra o Londrina) e por culpa da gente não conseguimos a vitória. O mérito da equipe foi assimilar a semana boa de trabalho e, ao mesmo tempo, com todas as adversidades que a gente encontrou em Campinas, saber jogar e conseguir a vitória”.

“A gente entende a raiva do torcedor, a angústia do torcedor.  Porque o torcedor é amor, é paixão. A gente passa pelo clube, o clube fica e com ele a torcida. Ficam aquelas pessoas apaixonadas, que muitas vezes tiram dinheiro de comer para comprar ingresso. Nós estamos conscientes disso. Muitas vezes, a gente perde o jogo não porque quer. Às vezes, o adversário naquele momento foi melhor. A gente sabe que o torcedor do Vitória está triste pela situação do clube, mas ao mesmo tempo, eles estão juntos com a gente. A gente perdeu o jogo para o Londrina e não escutei uma vaia do torcedor. Desde já eu faço um convite ao torcedor: sábado, quatro e meia da tarde, acho que é um bom horário, venha ao estádio, venha nos apoiar. O torcedor é muito importante nessa reta final, faz muita diferença pra gente chegar aqui e ver o estádio lotado. Tenho certeza que nossa torcida vai lotar o estádio. É um jogo de seis pontos e dentro de campo vão ter guerreiros que irão lutar por esses três pontos”, garante.

 

 

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*