Mais problemas: Jeferson e Kanu acionam o Vitória na Justiça do Trabalho

Jogadores cobram valores referentes as rescisões de contrato

Todos sabem que a situação financeira do Esporte Clube Vitória é crítica e isso é percebível com a dificuldade de contratar bons jogadores, e se já não bastasse a grande queda de receita com o rebaixamento para Série B do Campeonato Brasileiro, o clube terá que lidar com outros problemas que herdou das gestões passadas, como a cobrança do Boca Juniors pelo empréstimo do atacante Walter Bou alegando uma dívida que beira os R$ 1,2 milhões, e agora a notícia sobre o processo movido pelo zagueiro Kanu e o lateral-direito Jeferson, que recentemente vestiram a camisa rubro-negra e acionaram o clube na Justiça do Trabalho cobrando valores que não foram pagos após a rescisão contratual.

 

Hoje atuando no Vila Nova, Jeferson cobra aproximadamente R$ 570 mil, que incluem verbas rescisórias do contrato de 2018, salário de abril, direitos de imagem de março e abril, o proporcional do 13ª salário e das férias de 2019, FGTS não recolhido, multas e danos morais pelo afastamento. Ele chegou ao clube em 2018, emprestado pela Ponte Preta e renovou o contrato no final da temporada passada, permanecendo para 2019, no entanto, esse ano acabou entrando numa lista de dispensa, foi afastado e depois liberado para acertar com o clube de Goiás.

De acordo com informação do site Globoesporte, os advogados de Jeferson afirmam que o Vitória reconheceu as dívidas com o jogador no ato da rescisão e se comprometeu a pagar cerca de R$ 109 mil em quatro parcelas, a primeira delas em maio. Porém, o repasse não foi depositado, o que levou o atleta a acionar a Justiça. Também consta no processo que, ao repassar o lateral ao Vila Nova, o Vitória concordou em pagar seu direito de imagem até o fim do ano, o que resulta em uma quantia total de R$ 192 mil. Os danos morais e as multas engrossam a quantia reivindicada. A audiência inicial foi marcada para o dia 16 de julho, na 32ª Vara do Trabalho de Salvador.

O zagueiro Kanu, que atualmente defende o Oeste, pede cerca de R$ 380 mil. O defensor foi dispensado pelo clube baiano em outubro de 2018. Segundo o processo, no ato da rescisão, o Vitória aceitou arcar com os três meses de vencimentos que restavam até o fim do contrato, mas propôs quitar o valor em quatro parcelas, com multa em caso de descumprimento. Nenhuma delas foi paga. No início deste ano, houve uma nova negociação e a quantia foi parcelada em 16 vezes, com nova multa estipulada.

Os advogados do zagueiro reclamam que apenas duas parcelas do acordo foram pagas, referentes aos meses de janeiro e fevereiro. Assim, Kanu acionou o clube judicialmente. O jogador reivindica o pagamento do salário remanescente de outubro, quatro meses de FGTS não recolhido, proporcional de férias e 13º de 2018, além do pagamento de multas. A audiência inicial foi marcada para o dia 18 de junho, na 33ª Vara do Trabalho de Salvador.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*