Bahia abre as portas e Ávine inicia período de treinos no Fazendão

O lateral jogou o Campeonato Brasiliense pelo Paracatu

Cria da divisão de base do Bahia e xodó da torcida, o lateral-esquerdo Ávine está de volta ao Fazendão para iniciar um período de treinamentos depois de disputar o Campeonato Brasiliense pelo Paracatu. O Esquadrão abriu as portas para o jogador, no entanto, ele não deve voltar a atuar pelo Tricolor, ainda que uma boa parte da torcida tenha esse desejo, inclusive, recentemente fizeram uma campanha para a volta do atleta que tem história e identificação com o clube.

O lateral-esquerdo tem uma longa história no Bahia, iniciada em 2008 e encerrada após contusão que gerou como consequência uma infinidade de intervenções cirúrgicas que ao final, reduziu substancialmente sua capacidade de rendimento. Antes das lesões, Ávine atuava em grande nível e era sondados por diversos clubes, um deles o Atlético-MG que fez proposta pelo jogador naquela época.

 

Depois da passagem pelo Bahia, jogou por Náutico, Hercílio Luz-SC, Juazeirense-BA, Novo Horizonte-GO no ano passado. Este ano foi anunciado como novo reforço do Paracatu Futebol Clube que é um clube mineiro, porém, filiado à Federação Brasiliense de Futebol, onde disputa o Campeonato local.

Deixe seu comentário

4 Comentário

  1. A questão sobre o que o Avine foi, é, ou será, deve ser analisada, pela Diretoria do clube, com extremo profissionalismo. Qualquer clube tem a obrigação de olhar para o seu passado, agradecer e reconhecer todos os atletas que passaram e defenderam a sua camisa com garra e afinco, mais ainda àqueles amantes da instituição.

    No entanto, gratidão e reconhecimento não pode significar amadorismo. Se quiser um Bahia grande, competitivo e vencedor, a torcida deve olhar para o futuro e não para o passado. Caso a fórmula do sucesso fosse focar em ex-jogadores apaixonados pelo clube, o Santos deveria chamar o Pelé, o Flamengo o Zico e etc.

    Outro exemplo está no mundo corporativo. Um executivo ou trabalhador qualquer, por mais comprometido, competente e profissional que seja no seu emprego, quando por diversos motivos, justos ou injustos, deixar
    de ser produtivo ou acompanhar a evolução do negócio é demitido. A partir daí, para sobreviver, busca novos horizontes.

    A minha posição pode parecer dura, mas a vida é assim mesmo. Se não fosse assim, viveríamos na mediocridade. O sucesso, em qualquer área de atuação, depende de alta competitividade e apenas os extremamente preparados alcançarão seus objetivos.

    No futebol, fatalmente, não será diferente. BBMP!!

    • Adilson, concordo com algumas coisas que você falou, mas sinceramente, Avine cangalha e melhor que esses que estão jogando hoje. Acho que poderia fazer um teste, ou quem sabe aproveitar ele em outra função no faz então.

      • Quem sabe no brasileirão de aspirante Avine fizesse sucesso, já que pode ser usado dois ou três atletas de mais de 23 anos, o elenco contaria com o brio e experiência dele, além do amor que ele tem ao clube.
        Saudações tricolor!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*