Tribunal nega recurso e Guerrero só poderá atuar em abril

O atacante Paolo Guerrero hoje no Internacional de Porto Alegre, sofreu mais uma derrota nas suas pretensões de voltar aos gramados de imediato após suspensão por doping. Nesta quinta-feira, o Tribunal Federal da Suiça rejeitou o último recurso do jogador e assim determinou que cumpra a pena em sua totalidade. O atacante peruano só poderá voltar a jogar em 5 de abril deste ano. A decisão vai ao encontro daquela tomada no final de julho do ano passado pelo Tribunal Arbitral do Esporte o (TAS), que ampliou a punição de seis meses determinada pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) para 14 meses. Caso o recurso fosse aceito, o atleta poderia jogar imediatamente, inclusive estrear com a camisa do colorado contra Aimoré, pelo Gauchão, no domingo.



Guerrero ainda terá que pagar pelo processo, conforme o jornal suíço RTN. São cerca de R$ 26 mil ao sistema judiciário do país e R$ 31 mil. O caso ocorreu ao final de um jogo das eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 contra a Argentina. Inicialmente, ele foi punido por um ano pela FIFA, mas a entidade reduziu o período para seis meses, deixando-o apto à participação na competição de seleções.

Contudo, em 14 de maio de 2018, o TAS aumentou a pena para os 14 meses, privando o capitão do time do Peru de disputar o torneio. Como não cabia mais recursos neste órgão, Guerrero viajou até Zurique para pedir por uma intervenção do presidente da FIFA, Gianni Infantino, mas sem sucesso. Solicitou, então, que seu caso fosse tratado pela corte comum apenas depois do Mundial, o que acabou sendo aceito pelo TAS. O peruano entrou com recurso na Corte, que negou o pedido nesta manhã, exigindo que ele cumpra a pena até o fim.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*