Jogador de Futebol tem a mais efêmera de todas as profissões!

"É um ser humano, com todas virtudes e deméritos"

Jogador de futebol, apesar dos epítetos, conferido a ele, em início de carreira: “Ramires”, “Gladiador”, “Fulanogol”, “Golberto”, “Pitbull”, “Matador” e por vai… Vai por aqui e ali, entre apupos e aplausos, entre gritos de ódio e amor, sem falar nos extremados, os tresloucados, nos desequilibrados por aí, que chegam até à agredir! Ele é tudo, mas é sobretudo um ser humano.

Jogador de futebol é um ser humano! Você, deve estar pensando: – Que lógica, mais lógica! Todo Jogador de futebol é (um ser) humano. Fulanogol é jogador. Logo, Fulanogol é (um ser) humano. É Tolo né? Mas tem gente mais tolo que não sabe disso…

É um ser humano, com todas virtudes e deméritos, cada um com suas idiossincrasias, com o seus psiques, que somente Deus, sabe lá o que se passa, no recôndito de sua alma, o quanto afeta em sua vida, os apupos e as alegrias das arquibancadas, e da mais cruel, infame das ferramentas humanas, sua completa empatia, seu verborrágico violento, atirando a torta e a direito, suas próprias insatisfações pessoais, nas redes sociais!

Jogador de Futebol, tem a mais efêmera de todas as profissões! Curta, ingrata, gloriosa, majestosa e só Deus, sabe mais o que… eu queria ter em notas de R$ 1,00 (um real), os milhares de sofrimentos da d’alma e de júbilo, que cada um jogador já formado, já jogado em enes times já passaram…

Quantos, que já não abreviaram suas carreiras, mesmo tendo condições físicas e talento, para continuarem, mas foram vencidos pelo o acúmulo de ásperas, levianas, e desrespeitosas críticas!

Se se os mais experientes, os que são mais “consagrados”, sofrem! Imaginemos o que se passa com um jovem de 16/17/18/19/20/21/ anos, os jovens da base, que ainda não tem uma base psicológica para reagir, limpar a grama e dá a volta olímpica em campo.

Estes deve ficarem assim: – Chuto ou chuto, passo ou não passo, seja quaisquer de minha opções, se forem erradas, tô ferrado, o público vai me matar!



Por isso devemos saber que nem todos são precocemente talentosos, para driblar os maus zagueiros da língua, de alguns torcedores, que estão mais torcer-dor , a torcer com a dor, com o erro alheio, e assim saem por aqui e alhures, nas redes sócias, arrotando seus comentários sem pena e sem dó.

Por trás e por frente de um jogador, há um ser humano, com eu, como você, e cada um de nós, temos um psique, graças a Deus, de bilhões de natureza diferentes, cada um de nós agimos em conformidade com a nossa formação social, familiar e sobretudo psicológica.

Assim como em nossas vidas, em nosso cotidiano passamos por bons e maus perrengues, e só Deus, sabe como nos saímos… Um amor não correspondido, um perda precoce de um amigo, filho, irmão… ou até mesmo uma discussão sem sentido que nasceu primeiro: O ovo ou a galinha… Uma crítica de um colega de trabalho, chefe…

E sentimos as consequências das palavras a nós dirigidas sem consideração, sem respeito, rodeadas de impropérios, de perder a cabeça. Será que gostamos de vivenciar fatos como estes?

Imaginemos, o que passa um jogador de futebol desde da base ao cume, ah! Mas você há de dizer, mas eles ganham para isso, para isso, não! Eles ganham para colocar o pão de cada dia no seu lar, para dar uma vida digna a sua família, muitas vezes, em estado de vulnerabilidade social, eles ganham para poder fazer sua própria aposentadoria, já que é curta sua carreira, ganham para nos dar alegria, não tristeza, pois o mais triste não é quem não gritou o gol, e sim que não o fez, este mais de que qualquer torcedor, tá arretado, principalmente se sua função for fazê-lo. E o zagueiro, os homens da defesa, do meio de campo os centroavantes… você acha que jogam mal são por que eles querem?

Só se se forem masoquistas, só se se forem tantan dos pés e da cabeça! Todo atleta quer ser o melhor em sua posição, quer fazer o seu melhor desempenho, levá-lo a correr brasis, além mar, correr o mundo… quer vencer, quer ganhar todas, quer fazer gol, quer desarmar, quer lançar, quer passar, quer defender… quer dar de si o melhor. Se as vezes não acontece, ninguém esquece, exceto quando volta a brilhar em campo.

Divagar com a crítica desrespeitosa, leviana, destrutivas, que o ser humano não é santo. Ademais têm filhos, mulheres, pais, irmão, tem uma família, têm amigos… Se se quando nos ofendem, os que nos cercam também se sentem ofendidos, se acontece conosco, não acontecem com eles?

Se se “Todo Jogador de futebol é humano. Fulanogol é jogador. Logo, Fulanogol é humano. O qual não tem chuteira, não tem caneleira, não tem uma armadura, que o proteja, que o configure em um ser invulnerável, todos têm o seu calcanhar de Aquiles! Não é um estoico, um vazio de sentimentos, não é um inumano, para ser tratados por alguns inumanos.

Se se desrespeita respeita o jogador, respeita o ser humano!

Por fim, sei que empatia, não se vende, não se empresta, não tem base, tem sim uma alma, que sente ou não sente! E triste daquele que a não sente, em todo caso, quando for criticar um jogador, eu sei que é corriqueiro o que for escrever, mas não custa nada, ressaltar: Se coloque em seu lugar.

Lázaro Sampaio, de Gurupi-TO, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*