Técnico do Fluminense de Feira ressalta importância do curso promovido pela CBF

Evandro Guimarães busca a Licença A de treinador

Visando aprimorar os seus conhecimentos, o técnico Evandro Guimarães, do Fluminense de Feira, foi um dos participantes do Curso de Treinadores que foi promovido pela Confederação Brasileira de Futebol na Granja Comary, em Teresópolis/RJ. Além disso, o treinador busca a licença A de treinador, que a partir do próximo ano passa a ser obrigatória para os técnicos que estiverem trabalhando em competições nacionais.

Para cursar a Licença A, o profissional precisa obrigatoriamente ter terminado a B ou ter no mínimo cinco temporadas completas de experiência como treinador principal de uma equipe profissional – além do Ensino Médio Completo.

A carga horária é de 270 horas, sendo 170h de atividades presenciais. A CBF Academy também tem as Licenças B e C como opções, além de cursos de análise de desempenho, gestão e muito mais.

De volta a Feira de Santana, onde reassumiu essa semana o comando das atividades no Fluminense, Evandro Guimarães em entrevista publicada no site oficial do Fluminense de Feira, ressaltou o ritmo intenso a que os profissionais foram submetidos no decorrer do curso.

“Nós entrávamos as 7 da manhã na sala de aula e saíamos as 7 da noite praticamente todos os dias intercalando aulas e avaliações sobre diversos aspectos no futebol. Foi puxado, mas em termos de aprendizado e conhecimento foi gratificante porque nós trocamos experiências com renomados treinadores do futebol brasileiro”, destacou.



Além dos certificados, tão importante quanto é a troca de conhecimento entre profissionais que buscam alçar voos cada vez maiores.

“É super importante. A gente está vendo o nível dos professores e também dos participantes. Praticamente todos os treinadores da Série A, Série B do Brasileiro, e também profissionais que estão trabalhando fora do país. Os palestrantes, de nível alto também. Acho que a CBF está de parabéns por investir na qualificação e na capacitação dos seus treinadores”, disse o técnico.

Com pouco tempo disponível, o treinador teve que se desdobrar para acompanhar as atividades desenvolvidas pelos jogadores enquanto ele estava no Rio de Janeiro.

“Os trabalhos não sofreram solução de continuidade, mesmo porque temos João Paulo (Santos – auxiliar técnico), Rodrigo (Albuquerque – preparador-físico) e Sidnei (Silva – preparado de goleiro) que são profissionais qualificados que integram nossa comissão técnica. Tínhamos feito um planejamento que foi cumprido a risca, onde eu ficava a par de tudo, de forma que quando reassumi não houve nenhum problema para sequenciar trabalhos”, disse Evandro Guimarães.

O treinador confirmou que o curso terá sequência.

“Ainda teremos muita coisa pela frente, muito o que aprender e logicamente colocar em prática no nosso trabalho. É algo que nos exige um pouco de sacrifício, mas é muito importante porque nos qualifica ainda mais em nossa profissão”, comentou Evandro Guimarães.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*