Com lindo gol no fim, Bahia vence o Ceará de virada na Fonte Nova

Zé Rafael encerrou jejum de 19 jogos sem marcar

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Novamente reinou a mística tricolor na Arena Fonte Nova! Com um belo gol nos minutos finais marcado por Edigar Junio de letra, o Esporte Clube Bahia venceu de virada, por 2 x 1, o Ceará em confronto direto e valendo pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, praticamente garantindo o Esquadrão na Série A em 2019 e aumentando as chances de garantir uma vaga na Sul-Americana, além disso, mantendo o TABU histórico de nunca ter perdido para o time cearense jogando em Salvador pelo Brasileirão.

Calyson marcou para o Ceará. Zé Rafael e Edigar Junio anotaram para o Bahia. O camisa 10 tricolor encerrou um jejum de 19 jogos sem marcar. Ele não balançava as redes desde o dia 8 de agosto no empate do Bahia por 1 x 1 com o Atlético Cerro, no Uruguai, pela Copa Sul-Americana. Com o 2 x 1, o Bahia chega a seis jogos de invencibilidade dentro de casa na Série A, com 4 triunfos e 2 empates. Com o resultado, o tricolor chega a 44 pontos e assume a 10ª colocação na tabela.

Bahia foi escalado com: Douglas; Bruno, Grolli (Jackson), Lucas Fonseca e Léo (Paulinho); Gregore e Elton; Élber, Ramires e Zé Rafael (Vinícius); Edigar Junio.

O próximo compromisso do Bahia é longe de Salvador. No sábado (17), visita o Atlético Mineiro, às 19h (horário da Bahia), no estádio do Independência, em Belo Horizonte. Já o Ceará, também fora de casa, enfrenta o Fluminense, na segunda-feira (19), às 18h, no Maracanã, Rio de Janeiro.



O jogo começou de uma forma péssima para o Bahia, sofrendo um gol aos 7 minutos com Calyson no primeiro ataque do Ceará. Visivelmente o gol abalou e o Tricolor teve dificuldade para criar jogadas de ataque, ainda assim, aproveitando-se de uma acomodação do adversário, conseguiu o empate aos 43 minutos com o meia Zé Rafael encerrando um JEJUM incômodo de 19 jogos sem balançar as redes, desde agosto na seca.

O Bahia voltou para o segundo tempo tomando a iniciativa, porém, mesmo tendo a posse de bola, não mostrou força ofensiva para ser tão agressivo à ponto de obter a virada nos primeiros minutos. A melhor chance tricolor saiu dos pés do lateral-esquerdo Paulinho que substituiu Léo e quase marcou um belo gol. Fora isso, um jogo morno e que parecia caminhar para o empate, porém, aos 48, Edigar Junio de letra virou para o tricolor e garantiu o triunfo por 2  1.

Deixe seu comentário