Novo capítulo Caso Victor Ramos: Documentos do Inter são verdadeiros

27ª Vara de São Paulo considerou os documentos legítimos

Em matéria publicada nesta sexta-feira (19) pelo site UOL Esporte divulgada na Folha de S. Paulo traz à tona um assunto que já estava morto e enterrado, ou parecia estar, porém, ressuscita com mais um capítulo do famoso CASO VICTOR RAMOS que iniciou em 2016 e repercutiu bastante. De acordo com a publicação, a 27ª Vara de São Paulo considerou VERDADEIROS os documentos apresentados pelo Internacional que demonstravam inscrição irregular do zagueiro pelo Vitória.

A sentença em primeiro grau reforça a tese dos advogados do clube gaúcho, que à época pediam perda de pontos ao time baiano, o que salvaria o Colorado do rebaixamento.

A ação foi movida pelo Ministério Público contra Francisco Godoy, empresário de Victor Ramos, após denúncia da CBF, que chamou os documentos de adulterados. O Inter chegou a ser multado pelo STJD em cerca de R$ 720 mil sob argumento de que os e-mails haviam sido falsificados. A sentença é assinada pela juíza Luciana Piovesan.

Na decisão, a magistrada ainda chega a escrever que a transferência do Victor Ramos deveria ter seguido as regras para uma transferência internacional, o que demonstra que a inscrição do atleta pelo Vitória teria ocorrido de forma irregular. Veja abaixo a decisão da juíza.



“É bem evidenciado pelo conteúdo das mensagens trocadas que a transferência do atleta se daria com observância das regras para transferência internacional”, escreveu a magistrada. O Ministério Público, responsável pela ação, não recorreu.

“A supressão dos cabeçalhos, poucas palavras, nomes e frases, não fez alterada a compreensão da situação do atleta, não causando qualquer dano a quem quer que seja”, decidiu a juíza.

Desta forma, Godoy foi inocentado da acusação de adulteração na troca de e-mails entre o departamento de registros da CBF e a diretoria do Vitória, quando houve consulta sobre o processo a ser adotado para transferência de Victor Ramos. Atualmente no Goiás, o zagueiro à época tinha vínculo com o Monterrey-MEX e foi emprestado ao Palmeiras. Depois acabou repassado ao clube baiano. A discussão está justamente na hora de trocar São Paulo por Salvador.

Deixe seu comentário