Ídolos de Bahia e Vitória conseguem se reeleger como Deputados Estaduais

Bobô, na Bahia, e Bebeto, no Rio de Janeiro, foram reeleitos

Neste domingo (07) não tivemos o tradicional futebol no Brasil, afinal, os brasileiros foram as urnas escolher seus candidatos para os próximos quatro anos. A eleição 2018, que ainda terá segundo turno para o Governo de alguns Estados e também para a Presidência do Brasil, ficou marcada pela quantidade de ex-jogadores que concorreram para Assembleia Legislativa e Câmara Federal. Figura tarimbada na política, o baixinho Romário ficou fora do segundo turno para Governador do Rio de Janeiro.

Já nas assembleias estaduais, estão dois ex-jogadores conhecidos da dupla BA-VI, que conseguiram se reeleger. o ex-atacante Bebeto, campeão baiano e do Nordeste pelo Vitória em 1997 e tetracampeão com a Seleção Brasileira, e o ex-meia Bobô, tricampeão baiano e campeão brasileiro pelo Bahia em 1988, além de campeão do nordeste como treinador em 2002. Outros ex-atletas também tiveram êxito, casos de Luiz Lima, Leila, Danrlei, João Leite e Fábio Faria.

Com a divulgação dos resultados das eleições geral realizada neste domingo, o ídolo rubro-negro, Bebeto – apoiado por Romário – conseguiu se reeleger apertado com mais de 25 mil votos para a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Em 2014, ele foi eleito Deputado Estadual com 61 mil votos, porém, apesar da queda expressiva, os 25 foram mais do que suficientes para ele pegar a única vaga da coligação.

Ídolo do Bahia, Bobô conseguiu a reeleição para a Assembleia Legislativa da Bahia com mais de 57 mil votos. O ex-meia havia recebido 25 mil votos há quatro anos. João Leite, que jogou pelo Atlético-MG, também se reelegeu deputado estadual em Minas Gerais pelo PSDB, com 56 mil votos. A ex-jogadora Leila, que concorreu com o nome de “Leila do Vôlei”, foi eleita senadora pelo PSB do Distrito Federal.



Já Danrlei, ex-goleiro, foi reeleito deputado federal pelo PSD do Rio Grande do Sul com mais de 100 mil votos. Luizão, ex-atacante tetracampeão mundial com passagem pelos quatro grandes de São Paulo, teve pouco mais de 13 mil votos pelo PRB para deputado estadual.

O ídolo palmeirense Ademir da Guia foi um pouco melhor: recebeu 14 mil votos pelo PHS para a Câmara. Ídolo do Corinthians, Marcelinho Carioca teve cerca de o dobro de votos: 27 mil. Ele concorreu pelo Podemos. Nenhum dos três foi eleito.

Depois de quatro legislaturas, Deley, ex-jogador do Fluminense, não conseguiu se reeleger deputado federal. Ele se elegeu em 2002, 2006 e 2014, mas também cumpriu mandato durante a legislatura 2011-14, quando era suplente. Após ter 48 mil votos pelo PTB em 2014, desta vez teve pouco mais de 20 mil pelo mesmo partido

Paulo Rink, que já jogou pela seleção alemã, recebeu pouco mais de 11 mil votos para deputado estadual no Paraná, pelo PR. Foram sete mil votos a menos do que há quatro anos. Ex-Grêmio, “Goleiro Galatto” recebeu 37 mil votos para a Câmara pelo PPS do Rio Grande do Sul.

Deixe seu comentário

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*