“Stefano Manzi poderia ter me matado também”diz piloto após perder licença

Na corrida da Moto2, disputada no Domingo passado em Misano, na Itália, contou com uma polêmica envolvendo dois pilotos italianos. Durante briga por posição, Stefano Manzi tocou na moto de Romano Fenati, que escapou para fora da pista Irritado, Fenati se aproximou lateralmente do adversário e apertou a alavanca do freio dianteiro da moto do rival em uma atitude incomum e completamente irresponsável causando uma enorme repercussão negativa e com consequência grave para o piloto que foi demitido da sua equipe (Marinelli Snipers) e ainda perdeu a licença para guiar em categorias de motociclismo

Nesta terça-feira, em entrevista concedida ao jornal La Reppublica, o piloto italiano anunciou que deixará o esporte depois de ter a licença cassada na Itália.



“O Mundial está acabado para mim, não correrei nunca mais”, sentenciou o competidor, que já traça planos para o futuro longe das pistas.

“Vou voltar para os estudos, acabarei no próximo ano. Enquanto isso, voltarei a trabalhar na loja de ferragens do meu avô”, acrescentou Fenati, que considera um exagero toda a repercussão negativa sobre o ato em San Marino.

“Não é meu mundo, é uma demasiada injustiça. Eu errei, é verdade, mas ninguém se importa com a minha dor. Não fui um verdadeiro homem, não consegui manejar a minha ira, mas Manzi poderia ter me matado também”, completou.

Demitido da equipe Marinelli Snipers, Fenati perdeu a licença para guiar em categorias de motociclismo, segundo ordem expedida pela Federação Motociclística Italiana (FIM).

“Considerando a gravidade dos fatos, o pedido do Ministério Público Federal foi plenamente aceito. Assim, o Tribunal Federal ordenou a suspensão de todas as atividades esportivas e a retirada da licença de velocidade de Romano Fenati”

Deixe seu comentário