Carpegiani comenta má fase de Neílton, analisa derrota e explica escalação

"O problema é que muitas vezes não é só o Neilton", disse

Foto: Maurícia da Matta / ECV

Após a derrota neste sábado para o Ceará, quebrando uma sequência de quatro jogos sem perder e sem tomar gol, o técnico Paulo César Carpegiani em entrevista à rádio Metrópole fez uma análise e tentou explicar a atuação fraca da equipe que acabou perdendo por 2 x 0 no Castelão pela 25ª rodada da Série A. O treinador também explicou a opção pelo lateral-esquerdo Bryan jogando mais avançado, e lamentou a ausência do meia Erick. Carpé ainda falou sobre a má fase que vive o atacante Neílton, mas apontou a falta de opções para a posição.

VEJA ABAIXO:



DERROTA
“Tentamos uma transição rápida, mas um passe errado no meio, o lateral cortou, foi no fundo e cruzou para o atacante completar. Não vou ficar citando jogador, mas é um erro que não pode acontecer. No segundo, fizemos as mudanças necessárias, mas não surtiram efeito. O lateral apareceu livre e marcou o segundo. Foi uma vitória justa do Ceará.

ERICK E BRYAN
“Não tenho o pé esquerdo. Hoje o Erick fez falta, meso ele jogando mais pela direita. Estamos procurando nas divisões de base. O Bryan não fez uma má partida não. A dificuldade que temos pelo lado esquerdo é muito grande, então o Erick fez muita falta. Eu sabia que o lado direito de adversário era muito forte, então o Bryan foi uma necessidade”

NEÍLTON
“Quem que eu tenho? O problema é que muitas vezes não é só o Neilton. Tem um ou outro jogador que ainda não está bem fisicamente. Estou esperando o Luan, mas ainda vai demorar. Temos que buscar soluções, talvez nas categorias de base”, afirmou.

Deixe seu comentário