Em jogo ‘maluco’, Bahia empata com o Atlético-MG e sai do Z-4 da Série A

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O Esporte Clube Bahia entrou em campo nesta segunda-feira (30) com uma meta: Vencer para sair do Z-4. No entanto, um gol aos 4 minutos atrapalhou os planos da equipe baiana que teve de segurar o baque, ainda assim, dominou do quinto ou último minuto de jogo e merecia o triunfo, porém, saiu de campo com um ponto somado em jogo “maluco” e emocionante até os minutos finais, com dois gols nos acréscimos, diante de 15.993 pagantes para uma renda de R$ 275.277,00 na Arena Fonte Nova, resultado que não era o esperado, porém, retira o Esquadrão do Z-4. Gilberto e Régis marcaram os gols do tricolor, enquanto Galdezani e Ricardo Oliveira anotaram os tentos do Galo, em duelo que terminou empatado por 2 x 2.

Com o resultado, o Bahia sobe duas posições, sai do Z-4 e joga o Santos no seu lugar. Agora é o 15º colocado com 17 pontos. Já o Atlético-MG assume o 4º lugar com 27 pontos, empatado com o Grêmio.

O Bahia só volta à campo pelo Brasileirão no domingo (05) quando visita o Fluminense, às 19h, no Macaranã, pela 17ª rodada da Série A. Porém, antes disso, tem compromisso pela Copa do Brasil, na quinta-feira (02), quando enfrenta o Palmeiras, às 19h15, na Arena Fonte Nova, pelos primeiros 90 minutos das quartas de final.



No primeiro tempo, praticamente só o Bahia jogou, é claro, obrigado diante do cenário que se transformou o jogo pelo gol sofrido ainda aos 4 minutos, marcado por Matheus Galdezani. O Atlético-MG recuou completamente e antes dos 10 minutos já fazia cera com o goleiro Victor. Correndo atrás do prejuízo, o Esquadrão pressionou, controlou as ações, trocou passes, buscou triangulações com Marco Antônio, Vinícius e Edigar, no entanto, encontrou muitas dificuldades para entrar na defesa atleticana e criou pouco diante do enorme tempo que passou com a bola no pé no campo do adversário. Embora atrás do placar, o tricolor saiu de campo bastante aplaudido pelos torcedores, alto raro.

As propostas das equipes permaneceram no segundo tempo. O Bahia pressionando em busca do empate e o Atlético-MG se defendendo e apostando nos contra-ataques rápidos puxados por Chará e Luan. Enderson sacou Vinícius e colocou Régis. Com apenas 14 segundos em campo, o camisa 20 simulou um pênalti, tomou amarelo e como estava pendurado, não enfrenta o Fluminense. Mesmo sofrendo com a falta de produtividade e as dificuldades para furar a retranca, o Esquadrão alcançou o empate aos 38 minutos com o atacante Gilberto, em posição irregular. O time se lançou ao ataque buscando a virada e nos acréscimos tomou um contra-golpe e o gol de Ricardo Oliveira. Régis, no último minuto, deixou tudo igual.

Deixe seu comentário