Em carta, Grupo de sócios do Bahia pede demissão de Enderson e dirigentes

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

Insatisfeitos com a perda do título da Copa do Nordeste para o Sampaio Corrêa no sábado em plena Arena Fonte Nova e diante de 45 mil tricolores, um grupo de sócio-torcedores do Esporte Clube Bahia divulgou uma carta nesta terça-feira (10) como forma de protesto e direcionada ao presidente Guilherme Bellintani. No texto, os sócios pedem a demissão do técnico Enderson Moreira, contratado recentemente junto ao América-MG, e a saída de dirigentes do setor administrativo. O grupo faz uma análise dos seis primeiros meses de gestão do atual mandatário e alega falta de transparência da diretoria.

Veja a carta abaixo:



“Prezado Presidente Guilherme Bellintani,

Após seis meses de sua posse e depois de findarmos duas das competições do ano poderemos nos aventurar numa avaliação mais precisa de sua administração.

Reforçamos o que já soa redundante: nesses últimos cinco anos o clube experimentou avanços significativos em aspectos de transparência, participação do torcedor e administrativamente.

Porém, neste mesmo período estamos experimentando e colecionando insucessos, dificuldades e momentos de profunda incompetência no seu principal eixo, que é o nosso Departamento de Futebol.

Sua administração, após seis meses da tão propalada e falaciosa ruptura dos modelos arcaicos de gestão, sofre da mesma miopia administrativa de outrora, recaindo na continuidade do modelo fracassado capitaneado por personagens ainda incrustrados no clube.

Onde foi parar o seu discurso de inovação? Sua gestão, ao invés de romper com as forças perniciosas do passado recente, preferiu capitular. Temos hoje uma administração em crescente involução e carreada pela opacidade administrativa.

Hoje o organograma administrativo do Bahia não é claro. Seria proposital? Não temos clareza no papel administrativo de membros da DE. Aliás, ali a continuidade com “as forças do passado” está escancarada.

O reflexo desta analgesia Administrativa tem repercutido em campo. Estamos presos na inércia e no discurso vazio. Pior, grudados em paradigmas que conceitualmente se mostraram superados. Estamos órfãos de representatividade, seja no comando do futebol nacional, seja no diálogo com a sua verdadeira essência, que é a gigantesca torcida tricolor. O Sócio Torcedor, neste contexto, tem sido um reles assistente de um palco às escuras.

Vivemos nestes seis meses as mesmas fragilidades que, nós Sócios, identificávamos na gestão passada, em especial no Departamento de Futebol. Desde 2015 o perfil de contratação do Bahia se mostra falho. Apostou-se num modelo de comando técnico emergente, porém com um critério de avaliação equivocado.

A sua promessa de campanha e pós campanha era a contratação de técnicos vencedores. Onde está o perfil vencedor do Sr. Guto Ferreira? Uma Copa do Nordeste? Um Campeonato Catarinense? Onde está o perfil de vencedor do Sr. Enderson Moreira? Uma segunda divisão que venceu por erros do Internacional de Guto?

E aí? Sua meta será nos engalfinhar na 2ª divisão com suas “apostas” no Sub-23 e no seu comando técnico de segunda categoria?

Senhor Presidente, a partir de agora não conte com a nossa passividade. Exigimos, enquanto Sócios Torcedores unidos pelo codinome de Grupo Grito, a imediata destituição de Enderson Moreira, com a consequente contratação de um técnico condizente com a nossa HISTÓRIA de clube, bem como uma limpeza dos componentes de fachada no Departamento Administrativo e de Futebol e, principalmente, a contratação de jogadores de 1ª Linha.

Grupo Integração Tricolor (GRITO)”

Deixe seu comentário