TREINADOR DO BAHIA: PARECE UMA NOVELA SEM FINAL FELIZ!

"Será que o Bahia não precisa de bons resultados de imediato?"

É um absurdo, mas é verdade, o Esporte Clube Bahia segue para o seu terceiro jogo sem treinador no Campeonato Brasileiro da Série A. Há quem diga que Enderson Moreira, do América Mineiro, está acertado e deve desembarcar no Fazendão nos próximos dias. De concreto os dirigentes antecipam apenas que buscam um profissional para fazer um trabalho de médio ou longo prazo. Será que o Bahia não precisa de bons resultados de imediato? Resta saber se o presidente Guilherme Bellintani e seus assessores já estão dando o rebaixamento como certo nesta temporada e se planejam para a Série B de 2019, o que justificaria a vinda de Enderson.

Não é pessimismo meu, talvez seja pessimismo da direção do Bahia! Afinal, sabemos que o habitat natural de Enderson é a Série B, ele ainda é um “animal” (no bom sentido) desta competição, sendo campeão pelo América Mineiro no ano passado e pelo Goiás em 2012, seus maiores títulos no futebol. Na Série A, Enderson Moreira além do 6º lugar em 2013, sempre teve rendimentos medíocres, até mesmo quando treinou grandes clubes, a exemplo de Grêmio, Fluminense e Santos. A meu ver, sua atual campanha [13º colocado] nesse Brasileirão também não o qualifica para reverter essa situação crítica do Bahia na tabela.



“Para não dizer que não falei das flores”, acredito que Marcelo Oliveira seja o nome mais adequado neste momento, onde o Bahia precisa vencer ou vencer. Marcelo é um treinador vencedor, com três títulos nacionais recentes. Diga-se de passagem, outra característica dele é ser “copeiro”, nas últimas sete Copas do Brasil foi finalista de cinco delas, e vale lembrar que o tricolor está vivo em três competições desse formato – semifinalista na Copa do Nordeste, bem encaminhado para as quartas da Copa do Brasil e já na segunda fase da Copa Sul-Americana.

Insisto, creio que Marcelo Oliveira seja a melhor opção para este momento de crise do Bahia no Brasileirão e quiçá para galgar a conquista ainda em 2018 de uma ou até duas novas estrelas na camisa, pelas vias da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana. Os caminhos do Bahia em ambas competições não assustam, na medida que avançar cruzará com adversários de médio porte, até chegar nas finais, onde tudo pode ocorrer. Contudo, como já disse no título desse artigo, PARECE UMA NOVELA SEM FINAL FELIZ, pois dizem que um técnico “meia-boca” vem por aí.

André de Santana, torcedor do Bahia, amigo e colaborador do Futebol Bahiano.

Deixe seu comentário